Pare de inventar e comece a inovar: O mercado espera soluções práticas

Por Cid Vianna

Tenho ouvido muito, e com muita frequência, as pessoas falando sobre a necessidade de inovar.  Pessoas, no sentido amplo da palavra, de todas as raças, credos e tribos. Do expert em tecnologia ao meu vizinho skatista profissional.

Mas, afinal de contas, o que é inovar?

Parece uma pergunta descabida, perdida dentro do contexto em que vivemos, já que ser inovador é quase que uma obrigação. Mas, eu me atrevo a continuar perguntando: O que é inovar?

E, é neste momento, que se abrem as cortinas das respostas prontas e de efeito: “É fazer mais e melhor!”, “Procurar enxergar nas atividades cotidianas uma forma nova de fazer as coisas!”, “Olhar fora da caixa!”, ou ainda “Fazer de uma forma diferente aquilo que já foi feito da mesma forma!”.

Mas vamos lá. Dentro deste novo mundo, tão cheio de falácias “coachianas”, muitas vezes fica difícil discernir a essência das coisas, e é neste ponto que procuro tentar tornar um pouco mais simples o raciocínio.

Inovar não tem a ver só com ciência e tecnologia

Para entendermos o real significado de inovar, precisamos dar uma pequena pausa em tudo que ouvimos sobre o assunto e quebrar os vínculos já preestabelecidos de que inovação tem a ver única e exclusivamente com ciência e tecnologia. Não mesmo!

É necessário entender que a evolução do ser humano, desde os primórdios até hoje em dia, como diz a música, se deu através do constante ato de inovar.  Neste ponto alguém vai dizer: “Pera aí! E as invenções? ”

Claro. O processo inventivo foi e ainda é de vital importância para o desenvolvimento da humanidade.  Indo mais fundo, o inconformismo e a curiosidade do ser humano têm sido as molas propulsoras para estes dois movimentos: inventar e inovar.

Menos invenções e mais inovações

O que estamos vendo atualmente é que temos menos campo para invenções e muito mais oportunidades para inovações.  Isto é fácil de constatar quando observamos com atenção todas as novidades que surgem a nossa volta. Quase sempre é um jeito novo de fazer alguma coisa, por intermédio de tecnologia, um novo método ou uma nova ferramenta. Mas é algo que já conhecíamos.

Não quero aqui me ater a exemplos do estilo Uber x taxi, locadora x Netflix, etc, etc etc…

Ao contrário! Meu intuito é mostrar a você o momento incrível que estamos vivendo.

Nunca o mundo foi tão paradoxal e complexo. Ao mesmo tempo que temos enorme abundância de informações, não conseguimos utilizá-las adequadamente.  Temos soluções tecnológicas que brotam diariamente a nossa frente e situações ou problemas cotidianos que se repetem há anos.

Crie uma cultura inovadora

Não precisamos inventar nada (a menos que você queira!). A inovação é a mais democrática das atividades, não excluindo nada nem ninguém de suas engrenagens, permitindo que, se nos mantivermos alertas para o mundo, provavelmente encontraremos oportunidades de inovar.

Este é o segredo! Mude o seu caminho de casa para o escritório, mude o meio de transporte, mude algum de seus hábitos diários.  Crie uma cultura inovadora real em sua vida, não só por modismo. Não espere ter uma grande sacada inovadora sem que sua vida esteja alinhada a isso.

E de quebra, em alguns casos, você pode até ganhar dinheiro com isso.  O que, diga-se de passagem, não é nada mal! 

 

Cid Vianna assina a Coluna Quarta Ponto Zero, no Inova360, parceiro do portal R7. É diretor de novos negócios do Grupo T2I e apresentador do quadro “Quarta Ponto Zero” no programa de TV Inova360, na Record News.

cid@fatorconsult.com.br

https://www.linkedin.com/in/cid-vianna-64613510/