Cresce percentual de jovens que pensaram em parar de estudar na pandemia, aponta pesquisa


Em 2020, 28% afirmou pensar em desistir dos estudos; em 2021, percentual é de 43%. Entre eles, 28% apontam motivos financeiros e 14% dificuldade com ensino remoto. O percentual de jovens que já pensou em desistir de estudar durante a pandemia cresceu de 28%, em 2020, para 43% em 2021. O índice fica ainda maior se considerada a faixa etária de 18 a 24 anos, quando chega a 49%.
Entre os motivos, 21% dos jovens dizem que pararam de estudar por questões financeiras e 14% por dificuldades no acesso ao ensino remoto.
Os dados são da pesquisa Juventude e Pandemia, do Conselho Nacional da Juventude (Conjuve). Foram ouvidos 68 mil jovens de 15 a 29 anos em março e abril deste ano.
Pesquisa Juventude e Pandemia aponta percentual de jovens que pensaram em parar de estudar
G1
O levantamento aponta desafios na educação para manter os jovens engajados nas escolas durante o período de suspensão das aulas presenciais e aponta como a falta de ações pode prejudicar o ensino e aprendizagem, como o acesso ao ensino remoto.
Na última sexta (11), o governo promulgou a lei que garante internet gratuita a professores e alunos carentes. O projeto de lei havia sido vetado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Com a derrubada do veto, serão destinados R$ 3,5 bilhões para ações que promovam a conectividade.
“A situação é grave”, afirma Marcus Barão, presidente do Conselho Nacional da Juventude. “Precisamos urgentemente de ações concretas, com real capacidade de promover mudanças, atendendo as demandas emergenciais e apresentando perspectivas de futuro”, defende.
O levantamento teve parceria das entidades Em Movimento, Fundação Roberto Marinho, Mapa Educação, Porvir, Rede Conhecimento Social, Unesco e Visão Mundial.
Leia também: Veto de Bolsonaro derrubado: lei de internet gratuita a alunos e professores tenta aliviar defasagem da escola pública no mundo digital
Saúde mental
A pesquisa apontou ainda que, quase um ano após a suspensão das aulas presenciais, os jovens continuam apontando sentimentos como ansiedade, cansaço, e insônia:
6 a cada 10 jovens relatam ansiedade e uso exagerado de redes sociais;
5 a cada 10 sentem exaustão ou cansaço constante;
4 a cada 10 têm insônia ou tiveram distúrbios de peso
Pesquisa aponta ansiedade, cansaço e insônia como problemas entre jovens na pandemia.
G1
Saiba mais: Pandemia faz com que 83% dos jovens se sintam pressionados sobre futuro acadêmico, diz pesquisa
Saiba mais sobre Educação

Please enter banners and links.

Lucy Alves puxa o fole ao abrir parceria com Tato em ‘Embrasa’


Música inédita faz parte do disco em que a cantora e sanfoneira aborda o repertório do grupo Falamansa. ♪ Cantora, compositora e sanfoneira, Lucy Alves puxa o fole na gravação de Embrasa, música que abre a parceria da artista paraibana com Tato – compositor e vocalista do grupo paulistano de forró Falamansa – e que fecha a série semanal de singles do álbum Avisa.
Tato faz dueto com a parceira na gravação de Embrasa, faixa de clima festivo. Trata-se da única música inédita desse disco em que Lucy aborda o repertório do Falamansa.
Além de tocar sanfona na faixa, Lucy Alves divide os créditos da percussão com Lucas dos Prazeres. Tema de tom forrozeiro, Embrasa é o sétimo e último single do álbum Avisa.
Composição também assinada por Marcel, produtor musical do disco, Embrasa aporta nos players digitais na quinta-feira, 17 de junho, em single inédito que se junta aos já conhecidos registros das músicas Asas (Tato, 2000), Avisa (Tato, 2000), Xote dos milagres (Tato, 2000), Confidências (Jorge de Altinho e Petrúcio Amorim, 1983), A falta (Tato, 2001) e Gotas de amor (Tato, 2004), esta unida por Lucy Alves em medley com Oh! Chuva (Luis Carlinhos, 1999).
Capa do single ‘Embrasa’, de Lucy Alves com Tato
Divulgação

Please enter banners and links.