Oscar vai homenagear Danny Glover, Samuel L. Jackson e Liv Ullmann


Eles receberão estatuetas honorárias em janeiro, mas premiação acontece em 27 de fevereiro. Samuel L. Jackson apresenta o prêmio de melhor trilha sonora.
Lucy Nicholson / Reuters
A Academia responsável pelo Oscar anunciou que homenageará dois icônicos atores negros americanos, Danny Glover e Samuel L. Jackson, assim como a estrela norueguesa Liv Ullmann, musa de Ingmar Bergman.
Danny Glover, que primeiro fez seu nome em “A Cor Púrpura” de Steven Spielberg e depois estrelou ao lado de Mel Gibson a série “Máquina Mortífera”, receberá o Prêmio Humanitário Jean Hersholt no Governor’s Awards, em 15 de janeiro de 2022.
O prêmio é um Oscar que a Academia concede ocasionalmente em reconhecimento a uma pessoa “cujo trabalho humanitário honrou a indústria cinematográfica”.
“Danny Glover é um defensor da justiça e dos direitos humanos há décadas, uma prova de seu compromisso em reconhecer a humanidade que compartilhamos, tanto dentro quanto fora da tela”, disse o presidente da Academia de Cinema americana, David Rubin, em um comunicado.
Samuel L. Jackson, Liv Ullmann e a atriz, roteirista e diretora Elaine May, por sua vez, receberão as estatuetas honorárias do Oscar em janeiro. A premiação acontece no dia 27 de fevereiro.
Um “ícone cultural” internacional de acordo com David Rubin, Samuel L. Jackson apareceu em filmes de Spike Lee (“Faça a Coisa Certa”) e Quentin Tarantino (“Pulp Fiction: Tempo de Violência”, “Jackie Brown”, “Django Livre”).
Ele também se tornou um personagem recorrente em muitos filmes da Marvel. No total, apareceu em mais de 100 filmes, incluindo a saga Star Wars, onde interpreta o cavaleiro Jedi, Mace Windu.
Liv Ullmann, de 82 anos, atriz norueguesa de teatro, ficou conhecida internacionalmente com seu papel em “Persona”, de Ingmar Bergman, em 1967, antes de estrelar vários outros filmes do diretor sueco, com quem teve uma filha.
Ela também dirigiu (“Sofie”, e mais tarde “Faithless”, entre outros) enquanto continuava a se apresentar nos palcos.
Já a americana Elaine May, de 89 anos, escreveu e dirigiu seu primeiro filme “A New Leaf” em 1971, bem como “Mikey e Nicky” e “Ishtar”, mas foi principalmente como roteirista que se tornou conhecida, com “O Céu Pode Esperar” (1978) e “Segredos do Poder” (1998), que lhe rendeu uma indicação ao Oscar. Ela também escreveu o roteiro de “Tootsie”.
Indicados ao Oscar 2021