Oscar 2021: O que pode acontecer de inédito na premiação?


Vitória de diretora chinesa e diversidade entre os premiados nas categorias de atuação estão entre as marcas históricas que podem acontecer neste domingo (25). G1 transmite Oscar ao vivo. Indicados ao Oscar 2021
O Oscar 2021 pode ter marcos importantes no quesito da diversidade e de gênero. A cerimônia acontece neste domingo (25) e tem transmissão ao vivo do G1.
G1 transmite Oscar ao vivo
Vote nos seus favoritos do Oscar
Ano das mulheres na direção
Indicados ao Oscar de melhor diretor em 2021
Divulgação
Chloé Zhao, diretora de “Nomadland”, chega como favorita absoluta ao prêmio neste domingo após vencer o Globo de Ouro, o Bafta e o Sindicato dos Diretores.
Diretores brasileiros apontam Chloé Zhao como favorita ao Oscar 2021; veja palpites
Aqui, são dois recordes: o primeiro já foi quebrado quando a lista de indicados saiu com Chloé e Emerald Fennel (“Bela Vingança”). Nunca duas mulheres concorreram na categoria de direção no mesmo ano.
Quem ganhar vai fazer companhia para Kathryn Bigelow, até então a única mulher a vencer na categoria, pelo filme “Guerra ao Terror” em 2010.
Chloé Zhao: como diretora chinesa revelou América esquecida e virou favorita ao Oscar
Outro destaque é nas categorias de roteiro em que ambas estão indicadas: Chloé em roteiro adaptado e Emerald por original.
Se elas levarem, será a primeira vez na história que duas mulheres vencem nas categorias também no mesmo ano. A última mulher a vencer como roteirista foi Diablo Cody por “Juno”, no distante ano de 2008.
Noite pode ser da Chloé Zhao
Chloe Zhao, diretora de ‘Nomadland’, posa durante o Festival de Cinema de Sundance em Park City, Utah em janeiro de 2018
Taylor Jewell/Invision/AP, File
Além da vitória nas categorias de direção e roteiro adaptado, o filme de Chloé ainda pode vencer nas categorias melhor filme e melhor edição.
Se isso acontecer, a cineasta chinesa vai se tornar a segunda pessoa, e a primeira mulher, a levar para casa quatro estatuetas em uma noite.
O primeiro a conquistar esse feito foi Walt Disney, com seu recorde de quatro Oscars em 1954 — de melhor curta de animação; melhor documentário de longa-metragem; melhor documentário de curta-metragem; e melhor curta em duas bobinas.
Frances McDormand pode vencer como atriz e produtora o ano
Frances McDormand (Fern) e os nômades da vida real de ‘Nomadland’
Divulgação
A protagonista de “Nomadland” também está na lista de produtores do filme, o que significa que ela pode acabar no palco mesmo que não seja vencedora na categoria de melhor atriz.
As comparações mais próximas são Barbra Streisand e Oprah Winfrey, que foram ambas indicadas como atrizes e produtoras, mas para filmes diferentes e em anos diferentes.
‘Nomadland’ do Brasil: como vivem os brasileiros que moram em carros, peruas e ônibus
Vitória da diversidade
Chadwick Boseman, Viola Davis, Daniel Kaluuya e Youn Yuh-jung são favoritos nas categorias de atuação do Oscar 2021
Divulgação
Há chances de todos os vencedores de melhor atuação (protagonistas ou coadjuvantes) serem de grupos étnicos minoritários. E isso é possível, porque os quatro atores, abaixo, são favoritos.
Viola Davis e Chadwick Boseman levarem as estatuetas de melhor atriz e ator por “A Voz Suprema do Blues”
Youn Yug-Jung ganhar como melhor atriz coadjuvante por “Minari”
Daniel Kaluuya levar ator coadjuvante por “Judas e o Messias Negro”.
Maioria de atores indicados não é branca
Indicados ao Oscar de melhor ator em 2021
Divulgação
Pela primeira vez, a cor branca não é predominante entre os atores indicados na categoria de Melhor ator.
Anthony Hopkins e Gary Oldman concorrem ao lado de Chadwick Boseman, Riz Ahmed ( O Som do Silêncio) e Steven Yeun (“Minari”).
Ahmed é muçulmano, não é favorito na categoria, mas se levar vai ser o primeiro ator a conquistar o prêmio na categoria de Melhor Ator.
Mahershala Ali também é muçulmano, mas venceu em 2017 como melhor coadjuvante, por seu papel em “Moonlight”.
Além disso, entre as 20 vagas disponíveis, nove são de atores e atrizes de minorias étnicas, o que também é um recorde.
Equipe de produção 100% negra
Daniel Kaluuya interpreta o ativista Fred Hampton em “Judas e o Messias Negro”
Divulgação
As chances são pequenas, mas se “Judas e o Messias Negro” vencer na principal categoria da noite, melhor filme, vai ser a primeira equipe de produção totalmente negra a conquistar o título.
Shaka King, Charles D King e Ryan Coogler são os produtores do longa estrelado por Daniel Kaluuya e Lakeith Stanfield.
Filmes indicados a roteiro original concorrem a melhor filme
Indicados ao Oscar de melhor filme em 2021
Divulgação
“Minari”, “Bela Vingança”, “Judas e o Messias Negro”, “Os 7 de Chicago” e “O Som do Silêncio” estão concorrendo nas duas categorias e isso é inédito.
Indicada mais velha pode ser premiada
Ann Roth discursa durante Sindicato dos Diretores em 2018, em Nova York
Theo Wargo/Getty Images North America/Getty Images via AFP/Arquivo
Ann Roth tem 89 anos e é a figurinista de “A Voz Suprema do Blues”, filme estrelado por Viola Davis e Chadwick Boseman.
Se vencer, ela vai ser a mais velha indicada em 2021 a conquistar a cobiçada estatueta. E as chances são grandes…
Ann já foi cinco vezes indicada e venceu em 1996 pelo filme “O Paciente Inglês”.
Oscar da vida real: Fotos comparam personagens reais e atores indicados em 2021
Título mais longo da história
Sacha Baron Cohen em cena da sequência de ‘Borat’, que recebeu indicações ao Oscar
Divulgação
O fato de “Borat: Fita de Cinema Seguinte” ter sido indicado ao Oscar 2021, já é um recorde e não está relacionado a nenhuma atuação ou número de indicações.
A questão é que o filme de Sacha Baron Cohen entrou para o Guiness com o título mais longo a ser indicado na história da premiação.
Embora em português, seja um título razoável, em inglês são longos 110 caracteres que nomeiam o filme: “Borat Subsequent Moviefilm: Delivery of Prodigious Bribe to American Regime for Make Benefit Once Glorious Nation of Kazakhstan”.
Em tradução livre, seria algo como “Borat Fita de Cinema Seguinte: Entrega de suborno prodigioso ao regime americano para obter benefícios ao que já foi a gloriosa nação do Cazaquistão”.
O recorde anterior pertencia a “Those Magnificent Men in Their Flying Machines or How I Flew from London to Paris in 25 hours 11 minutes”, com 85 caracteres. Em português, o filme de 1964 ficou conhecido como “Gloriosos Malucos das Máquinas Voadoras”.
Bom que, nesse caso, só a indicação já vale o recorde porque o filme não está entre os mais cotados para roteiro adaptado. Talvez a Maria Bakalova leve atriz coadjuvante, mas nada muito garantido.
Bolão do G1: Veja quem vai ganhar o Oscar na opinião dos repórteres de Pop & Arte
Equipe do G1 faz suas apostas para os vencedores do Oscar 2021