Onyx diz que governo estuda transformar Coaf em agência de investigação financeira

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse nesta quinta-feira (30) que o governo estuda transformar, nos próximos anos, o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) em uma agência de investigação financeira.
Responsável por identificar transações financeiras suspeitas, o Coaf atua principalmente na prevenção e no combate à lavagem de dinheiro (crime que consiste na prática de disfarçar dinheiro de origem ilícita).
“O que pretendemos é fazer o Coaf caminhar, algum dia, que pode ser no ano que vem ou no próximo, para se transformar numa agência. Se ela vai estar localizada aqui ou acolá, não é algo decisivo, tanto o ministro Paulo Guedes [Economia] e o ministro [Sergio] Moro [Justiça], que reforçou a estrutura do Coaf, qualificou a estrutura do Coaf. É o primeiro governo que aumentou a estrutura de pessoal do Coaf”, afirmou Onyx ao chegar à convenção nacional do seu partido, o DEM.
Nas últimas semanas, o órgão foi o centro de uma polêmica. Ao assumir o governo, o presidente Jair Bolsonaro colocou o Coaf sob a alçada do Ministério da Justiça, sob o comando de Sergio Moro.
No entanto, ao analisar a medida provisória que reestruturou a Esplanada dos Ministérios, a Câmara e o Senado retiraram o Coaf da Justiça e transferiram para a Economia, o que representou uma derrota para governo e, em especial, para Moro.
Onyx afirmou que a decisão do Congresso foi “democrática”. “O parlamento brasileiro, no voto, tomou uma decisão democrática, de pegar um órgão de Estado e deslocar de um local para outro. Isso é um direito do parlamento. Cabe ao governo acatar”, disse o ministro.