Observatório no Havaí registra pico de concentração de CO2 na atmosfera do Pacífico

Tendência é de que a presença do gás de efeito estufa aumente cada vez mais; novos recordes são esperados por especialistas. Um observatório do Havaí registrou, no início desta semana, um pico na concentração de dióxido de carbono (CO2). Na segunda-feira (10), o Observatório de Mauna Loa mediu 416.08 partes por milhão (ppm) desta substância na atmosfera.
Esta é a maior concentração do gás nesta estação desde o início das medições, há 62 anos.
Iceberg do tamanho de Belo Horizonte se solta da Antártica
Temperatura na Antártica chega a 20,75ºC e bate novo recorde
2020 tem o janeiro mais quente da história, diz agência dos EUA
O cientista da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos EUA (NOAA), Pieter Tans, explicou nesta sexta (14) ao G1 que a concentração de CO2 no ar do Pacífico vem aumentando desde que as primeiras medições do observatório havaiano, em 1958.
“A taxa de aumento se acelerou de maneira constantemente e chegou a cerca de 2,5 ppm por ano”, disse Tans. “O recorde do maior valor diário será quebrado várias vezes nos próximos meses.”
O pico nos registros foi notado por ativistas e ambientalistas. A jovem ativista sueca, Greta Thunberg, alertou para esse aumento e disse em um tuíte que “vivemos uma crise que nunca foi tratada como tal.”
Initial plugin text
“Novo recorde da concentração média diária de CO2 medida na atmosfera: 416,08 ppm. Em fevereiro (!!) O mais triste é que isso não será uma notícia digna de plantão. Basicamente ninguém entende o significado completo disso. Porque estamos em uma crise que nunca foi tratada como uma crise.”, tuitou a jovem.
Leituras mais altas
A NOAA ponderou que esta não pode ser considerada a maior concentração de CO2 da história e que os valores não devem ser analisados dia a dia, mas em períodos maiores como meses ou anos.
Além disso, a administração explicou que o observatório havaiano registra apenas uma parte da atmosfera terrestre. Há outros dois laboratórios responsáveis por acompanhar esta medição em latitudes polares.
O Observatório de Mauna Loa, no Havaí, captura informações sobre a atmosfera terrestre desde 1958. Há ainda a estação de Barrow Alaska, que pela sua posição capta a maior parte da poluição, e outra no Polo Sul, com a menor concentração de gases estufa.
Segundo a NOAA, se não houver uma redução nas emissões dos gases de efeito estufa, a concentração de CO2 na atmosfera continuará a aumentar e novos recordes serão estabelecidos regularmente. Em um comunicado, a administração lamentou que “infelizmente este é o novo normal.”
“Estamos vendo vários novos picos mesmo em momentos de baixa, quando há maior absorção de CO2 pelas plantas na primavera”, disse a NOAA. “Houve outro pico em janeiro, agora em fevereiro, isso sugere que as leituras nos próximos meses serão mais altas que as do ano passado.”