O que diz a música de Édith Piaf citada por Sergio Moro para dizer que não se arrepende da Lava Jato

Canção composta por Michel Vaucaire em parceria com Charles Dumont foi gravada pela cantora francesa em 1960 e se tornou um de seus maiores sucessos. Ex-juiz Sergio Moro diz que não tem arrependimentos pelo trabalho no âmbito da Operação Lava Jato
“Non, Je Ne Regrette Rien (Não, eu não me arrependo de nada)”, uma das canções mais conhecidas de Édith Piaf, foi citada pelo ex-juiz Sergio Moro durante uma live realizada no domingo (28), na qual ele afirma que não tem arrependimentos pelo seu trabalho no âmbito da Operação Lava Jato
“Mas não me arrependo. Dá para tocar ao fundo a Édith Piaf, ‘Je ne me regrette rien’. Acho que foi um trabalho importante e o valor desse trabalho é reconhecido pela população brasileira, porque é um trabalho que foi feito com seriedade. Um trabalho de combate à corrupção que não é, como disse, a finalidade última da República, mas é algo importante para gente ter um país melhor”, declarou Moro.
A clássica canção gravada por Édith Piaf em 1960 é composição de Michel Vaucaire em parceria com Charles Dumont.
Quando gravou, Piaf dedicou a faixa à Legião Estrangeira francesa, que na época estava envolvida na Guerra da Argélia (1954–1962). O 1º Regimento Estrangeiro de Paraquedistas adotou a canção como uma espécie de hino.
O que diz a canção?
“Não, absolutamente nada
Não, eu não me arrependo de nada
Nem o bem que me fizeram
Nem o mal, não me importo com isso”
“Não, absolutamente nada
Não, eu não me arrependo de nada
Está tudo pago, varrido, esquecido
Que se dane o passado”
“Com minhas lembranças
Eu acendi o fogo
minhas mágoas, meus prazeres
Eu não preciso mais deles”
“Varreu os amores
E todos os temores
Varrido para sempre
Eu recomeço do zero”
“Não, absolutamente nada
Não, eu não me arrependo de nada
Nem o bem que me fizeram
Nem o mal, não me importo com isso”
Não, absolutamente nada
Não, eu não me arrependo de nada
Pois, minha vida, minhas alegrias
Hoje, começam com você”
Quem foi Édith Piaf?
Nascida em 19 de dezembro de 1915, Édith Piaf é dona de uma das vozes mais marcantes da França. Cantora, compositora e atriz, ela teve a vida marcada por tragédias. Seus pais a abandonaram quando pequena e ela foi criada pela avó e algumas prostitutas.
“O pequeno pardal”, como foi apelidada, começou a cantar aos 15 anos em bares e cabarés. Foi em um deles que chamou a atenção e iniciou sua trajetória de reconhecimento.
Ao longo da carreira, Piaf ficou conhecidas por suas baladas – em sua maioria, autobiográficas – que versavam sobre amor e tristeza. O tom de sua voz também retratava as dores e perdas ao longo de sua vida.
Além de “Non, je ne regrette rien”, Piaf também é conhecida por clássicos como “La Vie en rose”, “Hymne à l’amour”, “Milord”, “La Foule”, “L’Accordéoniste” e “Padam, padam” (1951).
Piaf morreu aos 47 anos, em 1963, mesmo ano em que gravou sua última canção, “L’Homme de Berlin”.
Sua história se tornou inspiração para diversas obras, incluindo “La Vie En Rose” (“Piaf, um hino de amor”), filme que venceu três categorias do Oscar 2008.
Dona de uma das vozes mais marcantes da França, Édith Piaf completaria 100 anos