Novo Chevrolet Tracker é visto sem camuflagem: veja versões, motorizações e medidas do modelo


De acordo com informações obtidas pelo G1, o SUV será oferecido em 5 versões diferentes e terá equipamentos de condução semiautônoma. Chevrolet Tracker é flagrado em São Caetano do Sul (SP)
André Paixão/G1
A nova geração do Chevrolet Tracker já está pronta para chegar às lojas brasileiras, o que acontecerá até o final de março. O G1 teve acesso a informações ainda não reveladas. O SUV utilizará o esperado motor 1.2 turbo e deverá ter preços aproximados entre R$ 80 mil e R$ 115 mil.
Além do Tracker: veja 60 carros esperados para 2020
Motos: as novidades que chegarão ao longo do ano
Dossiê dos SUVs: conheça os concorrentes do Tracker
Mais do que isso. Flagrou uma unidade do modelo sem qualquer tipo de disfarces nas proximidades da sede da empresa, em São Caetano do Sul (SP). O exemplar da versão mais cara, a Premier, foi fotografado em um shopping da cidade do ABC Paulista.
O G1 apurou que o Tracker será oferecido em 6 configurações:
1.0 turbo manual (sem nomenclatura);
1.0 turbo automático (sem nomenclatura);
LT 1.0 automático;
1.2 automático (sem nomenclatura);
LTZ 1.2 automático;
Premier 1.2 automático.
Chevrolet Tracker é flagrado em São Caetano do Sul (SP)
André Paixão/G1
O motor 1.0 de 3 cilindros é exatamente o mesmo já visto nos Onix e Onix Plus, flex e com até 116 cavalos de potência. Já o 1.2 turbo, também tricilíndrico, é inédito por aqui, será flex e terá até 133 cv. Para todas as versões o câmbio terá 6 marchas.
Dados de desempenho não foram revelados, mas supostos números de consumo foram apontados pela fonte. O 1.2 terá médias de 7,7 km/l na cidade e 9,3 km/l na estrada com etanol, e 11,4 km/l e 13,5 km/l, respectivamente, com gasolina.
Na versão Premier, a seta fica no para-choque.
André Paixão/G1
A versão mais cara do Tracker, como a que foi flagrada, oferecerá:
Faróis full-LED;
Lanternas de LED;
Luzes de conversão embutidas nos faróis;
Teto solar panorâmico;
Bancos de couro;
Frenagem automática de emergência;
Medição de distância do veículo à frente em metros e segundos;
Retrovisor eletrocrômico;
Controle de velocidade de cruzeiro;
Luz de neblina traseira;
Internet 4G com Wi-Fi;
Sistema de estacionamento semiautônomo;
Acesso e partida por chave presencial;
Start-stop com possibilidade de desligamento.
A nova geração do modelo será um pouco maior do que a atual. Serão 4,27 metros de comprimento, 2,57 m de entre-eixos e 1,79 m de largura (sem contar os espelhos). Todas as medidas são aproximadamente 2 centímetros maiores, com exceção da altura, que diminuiu quase 6 cm e foi para 1,62 m.
Interior do modelo revela comandos do piloto automático e bancos de couro com costuras em contraste.
André Paixão/G1
Ele também tem dimensões próximas às do Volkswagen T-Cross, um de seus principais concorrentes, que é um pouco menor com 4,20 metros de comprimento, 2,65 m de entre-eixos, 1,76 m de largura e 1,57 m de altura.
O porta-malas cresceu e passou de 306 litros do modelo atual para 357. Um segundo nível libera mais 36 litros para bagagens. Já o tanque de combustível diminuiu e agora tem 44 litros, exatamente a mesma capacidade do Onix.
Versão Premier tem lanternas de LEDs e luz de neblina central na base do para-choque.
André Paixão/G1
Da China para o mundo
O Tracker é mais um dos frutos dos novos projetos globais da Chevrolet, desenvolvidos na China por engenheiros de diversos países, incluindo o Brasil. O próprio SUV compacto, por exemplo, fez a primeira aparição no último Salão de Xangai, junto com o Onix Plus.
Na ocasião, o modelo estava trancado, sem possibilidade de ver interior. Agora, com as imagens do modelo flagrado no shopping, é possível perceber que ele será semelhante ao dos novos Onix e Onix Plus.
Há algumas diferenças, no entanto. Os bancos, inteiriços nos modelos compactos, terão apoio de cabeça retrátil no Tracker. Paineis de porta e posição da central multimídia também têm algumas peculiaridades.