Neto de Monarco, João Diniz lança o primeiro álbum sem a anunciada faixa com Zeca Pagodinho


Capa do álbum ‘João Diniz’
Duh Marinho
Anunciado em setembro de 2019 com a edição do single Gosto tanto de você (Umberto Tavares, Jefferson Junior e Prateado), o primeiro álbum de João Diniz – neto de Monarco, um dos maiores bambas do samba carioca – sairia inicialmente no último trimestre do ano passado, mas está sendo efetivamente lançado neste mês de fevereiro de 2020.
Sem a também anunciada participação de Zeca Pagodinho na regravação do samba Bamba de berço (Mauro Diniz e Sereno, 1985), o álbum de João Diniz flerta com o pagode pop ao longo de 11 faixas sem fazer o jovem cantor e compositor carioca romper com o confortável círculo familiar.
Aliás, o avô Monarco participa do álbum João Diniz, avalizando o neto na regravação de Seja sambista também (Arlindo Cruz e Sombrinha, 1984), composição que batizou disco lançado há 36 anos pelo grupo Fundo de Quintal.
Seja sambista também encerra álbum em que João também canta com o pai, Mauro Diniz, em Chave do perdão, samba que traz a assinatura de João. O artista também assina as letras de Abre as portas do querer e Diamante raro.
O fato de a produção do álbum ter sido dividida entre Mauro Diniz e Prateado já expõe a intenção de João Diniz de oscilar entre as tradições do samba mais nobre e a diluição do samba mais pop mercadologicamente rotulado como pagode.