Na porta do Enem, estudantes relatam rotina de estudos na pandemia e expectativas em Bauru


Mais de 8 mil alunos se inscreveram para a prova na cidade, que neste domingo (17) aborda conteúdos de linguagem, ciências humanas e uma redação. Mais de 8 mil pessoas se inscreveram para o Enem 2020 em Bauru
Rafael Ferraz/TV TEM
Mais de 8 mil pessoas se inscreveram para o Enem 2020 em Bauru (SP). A primeira prova é realizada neste domingo (17) e estudantes contaram como se prepararam para o teste durante a pandemia de coronavírus.
Acompanhe as últimas notícias sobre o 1º domingo de prova
Jovem leva 5 máscaras para prova do Enem: ‘Pessoas do grupo de risco em casa’
Além de Bauru, outras 19 cidades do centro-oeste paulista aplicam provas do Enem neste ano: Agudos, Assis, Barra Bonita, Botucatu, Garça, Ibitinga, Itápolis, Jaú, Lençóis Paulista, Lins, Marília, Ourinhos, Paraguaçu Paulista, Pederneiras, Pirajuí, Promissão, Santa Cruz do Rio Pardo, São Manuel e Tupã.
Um dos locais de prova em Bauru é a Instituição Toledo de Ensino (ITE), que fica na Vila Pacífico. Há também candidatos fazendo o exame na Usp, Unesp, Unip e Anhanguera. Na ITE, não houve registros de candidatos que se atrasaram para a prova.
Antes dos portões fecharem às 13h, estudantes relataram à TV TEM qual curso pretendem fazer e como se prepararam para obter uma boa nota no exame, que neste domingo aborda conteúdos de linguagem, ciências humanas e uma redação.
Gustavo Motta, de 19 anos, tenta pelo segundo ano passar em uma faculdade de medicina em Bauru
Rafael Ferraz/TV TEM
O estudante Gustavo Motta, de 19 anos, está tentando pelo segundo ano passar em uma faculdade de de medicina, de preferência a Usp.
“Estudei basicamente o ano inteiro para algo importante. Quero ser médico porque é uma vocação para mim. Sempre sonhei em ajudar o próximo”, contou.
João Victor Crepaldi, de 18 anos, presta Enem em Bauru para cursar relações públicas
Rafael Ferraz/TV TEM
Já o João Victor Crepaldi, de 18 anos, pretende estudar relações públicas. Para ele, a faculdade de RP foi uma escolha porque tem uma grande variedade de áreas de atuação.
“É um ramo que eu penso bastante, para realizar eventos, um leque bem grande que só tá crescendo. Para isso, estudei bastante nos tempos livres durante a pandemia. Pelo menos umas três horas com os livros em mãos, além das aulas”, garantiu o estudante.
*Com informações de Rafael Ferraz/TV TEM.
Veja mais notícias da região no G1 Bauru e Marília
Veja mais notícias do centro-oeste paulista: