Músicas para descobrir em casa – ‘Olhos abertos’ (Guarabyra e Zé Rodrix, 1972) com Elis Regina


Capa de ‘Elis’, álbum de 1972 em que Elis Regina apresentou a canção ‘Olhos abertos’
José Maria de Melo
♪ MÚSICAS PARA DESCOBRIR EM CASA – Olhos abertos (Guarabyra e Zé Rodrix, 1972) com Elis Regina
♪ Em 1971, o cantor e compositor carioca José Rodrigues Trindade (25 de novembro de 1947 – 22 de maio de 2009), mais conhecido como Zé Rodrix, defendeu o ideal hippie de paz & amor ao apresentar a canção Casa no campo na sexta edição do Festival Internacional da Canção (FIC).
Com melodia de Tavito (1948 – 2019) e letra de Rodrix, Casa no campo foi gravada por Elis Regina (17 de março de 1945 – 19 de janeiro de 1982) para single editado naquele mesmo ano de 1971. O grande sucesso da música motivou a cantora a gravar, no ano seguinte, outra canção escrita por Rodrix nessa linha humanista.
Essa outra música, Olhos abertos, entrou no álbum Elis, lançado em 1972 pela gravadora Philips. É o primeiro disco da artista com produção coordenada por Roberto Menescal e – mais importante – com arranjos do pianista César Camargo Mariano. Músico projetado nos anos 1960, Mariano deu outra direção musical a Elis após dois álbuns feitos pela cantora sob a batuta pop de Nelson Motta.
Com repertório e arranjos primorosos, o álbum Elis resultou tão bem-sucedido na discografia de Elis Regina que a canção Olhos abertos acabou passando despercebida entre músicas que se tornariam antológicas como Atrás da porta (Francis Hime e Chico Buarque, 1972), Águas de março (Antonio Carlos Jobim, 1972), Bala com bala (João Bosco e Aldir Blanc, 1972) e Mucuripe (Fagner e Belchior, 1972) na voz da cantora.
Olhos abertos é parceria de Zé Rodrix com o cantor e compositor baiano Guttemberg Nery Guarabyra, com quem Zé formava na época o trio Sá, Rodrix & Guarabyra, celebrizado pela adesão ao gênero conhecido como rock rural.
A melodia de Olhos abertos não é tão aliciante quanto a de Casa no campo, mas a letra, escrita de forma direta, sem metáforas ou poesia, ia direto ao ponto hippie. O sonho havia acabado, como anunciara John Lennon (1940 – 1980), mas ainda havia quem, como Zé Rodrix, acreditasse no poder da paz e do amor, mantendo o coração e os olhos abertos.
♪ Ficha técnica da Música para descobrir em casa 50 :
Título: Olhos abertos
Compositores: Guarabyra e Zé Rodrix
Intérprete original: Elis Regina
Álbum das gravação original: Elis
Ano da gravação original: 1972
Regravações que merecem menções: a de Diana Pequeno no álbum Mistérios (1989).
♪ Eis a letra da música Olhos abertos :
“Atravessando uma ponte de noite, no meio da chuva
Cercada pelo silêncio daquela cidade do interior
Depois da ponte, uma estrada de terra, molhada de chuva
Cercada pelo silêncio e sem nenhum pedaço de amor
Vendo os olhares desertos de tantas pessoas antigas
Tantas pessoas amigas querendo um cigarro e um carinho
Gente que puxa uma briga na estrada, com os olhos brilhando
Precisa só de um abraço, bem forte e bem dado
E eu quero encontrar as pessoas
De mãos e de olhos abertos
Sem me preocupar com dinheiro e posição
Eu preciso encontrar as pessoas
Ficar de mãos dadas com elas
Conversar com a boca e os olhos do coração
Eu quero encontrar as pessoas
De mãos e de olhos abertos
Sem me preocupar com dinheiro e posição
Eu preciso encontrar as pessoas
Ficar de mãos dadas com elas…”
♪ Com a indicação da canção Olhos abertos, a série Músicas para descobrir em casa chega ao fim, nesta segunda-feira, 12 de outubro de 2020, tendo cumprido a missão de indicar 50 composições menos conhecidas, de beleza inexorável, prontas para serem (re)descobertas. Mas o Blog do Mauro Ferreira continuará publicando textos memorialistas com o objetivo de reavivar o passado glorioso da música brasileira.
E, para quem gostou da série Músicas para descobrir em casa, eis a relação das 50 canções indicadas a partir de 24 de agosto:
1. O vento (Djavan e Ronaldo Bastos, 1987) com Gal Costa
2. Manchas e intrigas (Kiko Zambianchi, 1985) com Erasmo Carlos
3. Tempo (Arnaldo Antunes e Paulo Miklos, 1988) com Sandra de Sá e Titãs
4. Eu preciso de você (Márcio Greyck e Cobel, 1971) com Márcio Greyck
5. Vila do adeus (Roberto Mendes e Jorge Portugal, 1999) com Maria Bethânia
6. Alpendre da saudade (João Pacífico e Edmundo Souto, 1981) com Beth Carvalho
7. À flor da pele (Maurício Tapajós, Clara Nunes e Paulo César Pinheiro, 1977) com Clara Nunes
8. Vidas inteiras (Adriana Calcanhotto, 2008) com Adriana Calcanhotto
9. A paz do meu mundo é você (Dom Mita, 1973) com Tim Maia
10. Canção de amor (Guilherme Arantes e J.C. Costa Netto, 1988) com Leila Pinheiro
11. Mais uma vez (Maurício Duboc e Carlos Colla, 1978) com Roberto Carlos
12. Nenhum lugar (Sueli Costa e Tite de Lemos, 1984) com Angela Ro Ro
13. Queria ser… (Fábio Jr, 1979) com Fábio Jr.
14. Sol da Barra (Marcelo Camelo, 2018) com Erasmo Carlos
15. Quando eu fecho os olhos (Chico César e Carlos Rennó, 2002) com Carlos Rennó
16. Outono (Billy Blanco, 1952) com Dolores Duran
17. Acende o crepúsculo (Marina Lima e Antonio Cicero, 1985) com Gal Costa
18. Máquina voadora (Ronnie Von e San Martin, 1970) com Ronnie Von
19. Coração americano (Raimundo Fagner e Antonio Marcos, 1975) com Vanusa
20. Interior (Rosinha de Valença, 1978) com Maria Bethânia
21. Picola Marina (Roberto de Carvalho e Antonio Bivar, 1987) com Rita Lee
22. Clarão (Ivor Lancellotti e Delcio Carvalho, 1988) com Alcione
22. Safado (Renato Teixeira, 1985) com Joanna
24. Passeio público (Ednardo, 1976) com Ednardo
25. Meu silêncio (Claudio Nucci e Luiz Fernando Gonçalves, 1980) com Nana Caymmi
26. Vi, voou (Carlinhos Brown e Arnaldo Antunes, 2010) com Carlinhos Brown
27. Cansei de esperar você (Ivone Lara e Delcio Carvalho, 1986) com Fundo de Quintal
28. Minha herança: uma flor (Vanessa da Mata, 2007) com Vanessa da Mata
29. A última estrofe (Cândido das Neves, 1932) com Orlando Silva em gravação de 1935
30. No caminho de Cuba (Jaime Alem, 1985) com Elba Ramalho
31. Maremoto (Itamar Assumpção, 1988) com Itamar Assumpção
32. De nosso amor tão sincero (Ivan Lins e Vitor Martins, 1988) com Fafá de Belém
33. Quando fugias de mim (Alceu Valença e Emmanoel Cavalcanti, 2001) com Alceu Valença
34. Pernambucobucolismo (Marisa Monte e Rodrigo Campello, 2006) com Marisa Monte
35. Picilone (Noel Rosa, 1931) com Noel Rosa e João de Barro
36. Perto do fim (Thiago Pethit, 2012) com Thiago Pethit e Mallu Magalhães
37. Tororó (Edu Lobo e Chico Buarque, 1988) com Danilo Caymmi
38. Encontro (Paulinho da Viola, 1968) com Paulinho da Viola
39. Coisas mais loucas (Michael Sullivan e Paulo Massadas, 1987) com Fafá de Belém
40. Terceiro amor (Francis Hime e Cacaso, 1978) com Francis Hime
41. Meu homem (Martinho da Vila, 1988) com Beth Carvalho
42. Saudade (Chico César e Paulinho Moska, 2009) com Maria Bethânia e Lenine
43. Prece de paz (Herivelto Martins e David Nasser, 1942) com Francisco Alves
44. Temporal (Marcelo Jeneci e Isabel Lenza, 2013) com Marcelo Jeneci
45. Não sei o que eu quero da vida (Arrigo Barnabé e Hermelino Neder, 1990) com Cássia Eller
46. Anjo bom (Flávio Venturini e Ronaldo Bastos, 1984) com Olivia Byington
47. Diálogo (Marcos Valle, Milton Nascimento e Paulo Sérgio Valle, 1968) com Marcos Valle e Milton Nascimento
48. Guardados (Joyce Moreno e Ana Terra, 1982) com Joyce Moreno
49. Vê se me esquece (Ana Carolina, 2001) com Ana Carolina
50. Olhos abertos (Guarabyra e Zé Rodrix, 1872) com Elis Regina