Músicas para descobrir em casa – ‘Não sei o que eu quero da vida’ (Arrigo Barnabé e Hermelino Neder, 1990) com Cássia Eller


Capa de ‘Cássia Eller’, álbum de 1990 que apresentou o registro original do rock ‘Não sei o que eu quero da vida’
Reprodução
♪ MÚSICAS PARA DESCOBRIR EM CASA – Não sei o que eu quero da vida (Arrigo Barnabé e Hermelino Neder, 1990) com Cássia Eller
♪ Corria sangue punk nas veias de Cássia Rejane Eller (10 de dezembro de 1962 – 29 de dezembro de 2001), sobretudo pelas vias alternativas em que a cantora transitou nos dois primeiros álbuns.
O primeiro LP – Cássia Eller, lançado em setembro de 1990 pela gravadora PolyGram com produção musical assinada por Mayrton Bahia com Wanderson Clayton – fez pulsar a veia punk da artista no rock Não sei o que eu quero da vida, música resultante de parceria entre Arrigo Barnabé e Hermelino Neder, compositores associados ao então recente movimento dos anos 1980 intitulado Vanguarda Paulista.
Rock então inédito, apresentado pela cantora com toda a virulência no fecho do álbum Cássia Eller, Não sei o que eu quero da vida ganhou o som e a fúria da guitarra de Nelson Faria. O baterista Élcio Cáfaro, o baixista Jorge Helder e o tecladista Zé Marcos completaram o time de músicos da gravação.
A faixa foi formatada em estúdio com pegada, turbinada pelo canto indomado de Cássia, carioca que deu os primeiros passos profissionais em Brasília (DF). Vocacionada para esse rock de aura punk, a intérprete parecia realmente cuspir ódio ao repetir o verso “você me dá ódio”.
Nessa gravação que ainda se impõe como um dos momentos mais expressivos de Cássia Eller em estúdio, a voz da cantora conseguiu traduzir a desorientação, a rebeldia e o desespero quase niilista que se alternavam nos versos do rock de Arrigo Barnabé e Hermelino Neder.
O registro original de Não sei o que eu quero da vida é tão explosivo e verdadeiro que nenhum cantor decidiu abordar o rock ao longo dos 30 anos de vida da gravação. Mas existe um registro autoral do próprio Hermelino Neder e de Luiz Pinheiro em álbum, Cássia secreta, lançado em outubro de 2005 com músicas dessa face mais alternativa da cantora.
E há um outro registro de Cássia, inserido nos extras do DVD editado postumamente em 2010 com o registro audiovisual do show Violões, captado ao vivo em 1996, em apresentação da cantora na cidade de São Paulo (SP), para ser exibido como especial da TV Cultura.
No estúdio e sobretudo no palco, onde se mostrava livre do jugo mercadológico das gravadoras, Cássia Eller sabia o que queria da vida e das músicas a que dava a imortal voz-de-trovão.
♪ Ficha técnica da Música para descobrir em casa 45 :
Título: Não sei o que eu quero da vida
Compositores: Arrigo Barnabé e Hermelino Neder
Intérprete original: Cássia Eller
Álbum da gravação original: Cássia Eller
Ano da gravação original: 1990
Regravações que merecem menções: a de Hermelino Neder e Luiz Pinheiro no álbum Cássia secreta (2005) e a da própria Cássia Eller no DVD Violões (2010).
♪ Eis a letra da música Não sei o que eu quero da vida :
“Não sei o que que eu quero da vida
Não sei o que que eu quero de mim
Não sei o que que eu quero de tudo
Só sei que tudo vai ter fim
Vai, sim…
Não sei o que que eu quero da droga
Não sei o que que eu quero do sexo
Não sei o que que eu quero do rock
Não sei o que que eu quero do resto
Resto, resto…
Você me dá ordens
Me diz o que que eu devo fazer
Você me dá ordens
Me diz que eu preciso sofrer
Você me dá ordens
Me diz o que eu preciso fazer
Você me dá ordens
Me diz que só assim pra aprender
Você me dá ordens
Mas eu não vou obedecer
Obedecer? Eu não, na-não
Na-na-não, não vou, não
Obedecer? Eu não!
Eu não sou escoteiro
Eu não sou coroinha
Eu não sou padreco
Obedecer? Eu não, na-não
Posso não saber
Mas eu não vou obedecer
Você me dá ódio!
Você me dá ódio!
Você me dá ódio!
Não sei o que que eu quero da vida
Não sei o que que eu quero de mim
Não sei o que que eu quero de tudo
Só sei que tudo vai ter fim
Vai, sim…
Não sei o que que eu quero da droga
Não sei o que que eu quero do sexo
Não sei o que que eu quero do rock
Não sei o que que eu quero do resto
Resto, resto…
Não sei o que que eu quero da vida
Não sei o que que eu quero da
Não sei o que que eu quero
Não sei o que que
Não sei o que
Não sei”