Músicas para descobrir em casa – ‘A máquina voadora’ (Ronnie Von e San Martin, 1970) com Ronnie Von


Capa do álbum ‘A máquina voadora’, de Ronnie Von
Gil Prates
♪ MÚSICAS PARA DESCOBRIR EM CASA – A máquina voadora (Ronnie Von e San Martin, 1970) com Ronnie Von
♪ Em 1969, Ronnie Von decidiu destruir o castelo em que tinha se abrigado em segurança no reino encantado da Jovem Guarda.
Promovido como o Pequeno príncipe daquela geração pop da década de 1960, tanto pela cara de galã quanto pelo repertório meloso, o artista resolveu que queria fugir da linha sentimental de músicas como Meu bem (Girl, John Lennon e Paul McCartney, 1965, em versão em português de Ronnie Von, 1966) e A praça (Carlos Imperial, 1967).
Para pôr o castelo abaixo, Ronnie Von embarcou em viagem psicodélica feita em trilogia de álbuns encerrada em 1970 com a edição do LP A máquina voadora pelo selo Polydor, da gravadora Philips.
Produzido por Arnaldo Saccomani (1949 – 2020), o álbum A máquina voadora seguiu rota mais arriscada que deu prestígio a Ronnie Von, nome artístico de Ronaldo Nogueira, cantor e compositor fluminense, nascido em julho de 1944 em Niterói (RJ) e criado na cidade de São Paulo (SP).
O grande trunfo do álbum é a música-título A máquina voadora, parceria de Ronnie com um amigo compositor creditado na ficha técnica como San Martin. O artista tinha o hábito de pilotar monomotores e, empolgado ao testar avião do gênero para ver se o comprava, percebeu que havia música no ronco do motor e resolveu fazer canção em homenagem ao ato de voar e à própria máquina voadora.
Música que batizou e abriu o álbum, A máquina voadora é essa canção, composta em cerca de 40 minutos. Uma canção curta e inspirada, valorizada no primeiro e único registro fonográfico da composição pelo estupendo arranjo do maestro Chiquinho de Moraes.
Simulando o ronco de um motor com o toque das guitarras de Cacho Valdez e Tony Osanah, o maestro criou arranjo que, no sopro dos metais, procurou evocar no ouvinte a sensação de um avião que decolava e planava pelo ar. A interpretação de Ronnie Von se ajustou com perfeição ao tom meio épico da canção e do arranjo de Chiquinho Moraes.
Embora perfeita, a gravação de A máquina voadora jamais alçou o álbum ao topo das paradas, mas resultou em pequena obra-prima da fase mais ousada da discografia do desencantado Príncipe da Jovem Guarda.
Finda a viagem psicodélica, o cantor alcançaria maiores altitudes em playlists posteriores com as gravações das músicas Cavaleiro de Aruanda (Tony Osanah, 1972), Tranquei a vida (Ronnie Von e Tony Osanah, 1977) e Cachoeira (Thomas Roth e Luiz Guedes, 1979, popularizada por Ronnie Von em 1984), mas seguindo rota mais segura, distante do voo artístico da música-título deste álbum de 1970, editado em CD em 2007 e relançado no formato original de LP em 2013 via Polysom.
De todo modo, com A máquina voadora em ação, Ronnie Von destruiu de vez o castelo do Pequeno príncipe.
♪ Ficha técnica da Música para descobrir em casa 18 :
Título: A máquina voadora
Compositores: Ronnie Von e San Martin
Intérprete original: Ronnie Von
Álbum da gravação original: A máquina voadora
Ano da gravação original: 1970
Regravações que merecem menções: A música A máquina voadora nunca foi regravada.
♪ Eis a letra de A máquina voadora :
“Quero todo o universo sem fim
As alturas vou subir
Vejo o espaço acima de mim
E por ele vou sumir
Vou vagar em pleno o ar
Vou voar, vou voar…
Em meu brilhante pássaro de prata
Vou navegar pelas nuvens soltas
Leve para o alto toda minha vida
Meu aeroplano
Combustível, metal e poema
Minha máquina voadora
Vejo os homens de cima, em cena
Entre a música de um motor
Vou vagar em pleno o ar
Vou voar, vou voar…”