Mulher usa aplicativo de delivery para pedir ajuda enquanto era mantida refém nos EUA


A moça de 24 anos teria se encontrado com um homem que conheceu em um aplicativo de namoro, mas foi agredida e estuprada, relato a queixa. Entregador de comida na cidade de Nova York
Mark Lennihan/AP
Uma mulher de 24 que não teve a identidade revelada utilizou um aplicativo de delivery para pedir ajuda enquanto era mantida refém por um homem com quem aceitou sair.
Segundo a denúncia feita por ela na polícia, os dois haviam se conhecido por meio de um aplicativo de namoro e combinaram de sair. Durante este encontro, ela relatou ter sido agredida e estuprada por ele. Depois disso, o homem não a permitia sair e fez com que ela permanecesse no local.
De acordo com a denúncia, o homem pegou o telefone da mulher, mas ela disse que conseguiu recuperá-lo quando perguntou ao homem se poderia pedir comida.
O pedido emitido pelo aplicativo Grubhub continha o pedido de socorro nas observações do pedido.
“Por favor, ligue para a polícia… por favor, não deixe isso óbvio”, dizia.
Homem é acusado de agressão sexual e estupro
Funcionários do rede de café em Yonkers, Nova York, receberam o pedido da mulher e seu pedido de ajuda no dia 19 de junho, último domingo.
Alice Bermejo, uma das donas do restaurante, disse à CNN Internacional na quarta-feira que uma funcionária que viu a nota ligou para o marido, que os aconselhou a chamar a polícia.
Oficiais da polícia de Nova York responderam ao endereço cerca de uma hora depois e prenderam Kemoy Royal, de 32 anos, no local.
Royal está sendo acusado de cometer agressão sexual predatória, estupro, ato sexual criminoso e abuso sexual, de acordo com uma queixa criminal.