‘Muita pressão psicológica’, diz estudante antes de 2° dia de prova do Enem em Macapá


Adryan Albuquerque diz que sofreu com a ansiedade em meio à quarentena. Estudante Adryan Albuquerque, de 19 anos, fala em pressão psicológica
Victor Vidigal/G1
Formado há um ano no ensino médio em escola pública, o estudante Adryan Albuquerque, de 19 anos, contou da pressão psicológica que enfrentou em 2020 durante os estudos para o Enem em plena pandemia de Covid-19. Ele faz a prova no Centro de Macapá.
Albuquerque, que sonha em fazer psicologia, sabe bem do quanto uma saúde mental debilitada pode prejudicar o desempenho nos estudos. Ele sofreu com a ansiedade em meio à quarentena.
“Foi uma preparação muito difícil, de muita pressão psicológica. Foi um ano corrido, foi um ano triste. A ansiedade por ficar muito tempo em casa, sem sair, me dificultou muito na preparação, mas estou confiante em fazer uma boa prova de exatas. Para aliviar um pouco, antes de vir fiz uma oração. Não perdi ninguém para a Covid, mas tenho empatia com quem perdeu”, contou.
MACAPÁ, AP – Local de provas do Enem com regras de higiene e cuidados
Victor Vidigal/G1
Segundo dia de Enem
No Amapá, 46.483 estudantes estão aptos a encarar o 2º dia das provas impressas do Enem neste domingo (24).
O teste, que acontece em 7 municípios, tem desta vez questões de matemática e ciências da natureza.
No domingo anterior, dia 17 de janeiro, os amapaenses tiveram o 1º dia de aplicação. Mais da metade dos inscritos no estado não fez a prova, índice maior que o da média nacional.
Os portões abrem mais cedo que em edições anteriores, às 11h30 (Horário de Brasília) e fecham às 13h, com as provas iniciando às 13h30 e seguindo até 18h30.
Veja o plantão de últimas notícias do G1 Amapá
ASSISTA abaixo o que foi destaque no AP: