Milton Nascimento e Criolo dão novo sentido ao vazio de São Paulo em single enternecedor


Releitura de ‘Não existe amor em SP’ anuncia EP dos artistas, previsto para maio, e gera campanha solidária para arrecadar fundos para a população em situação de vulnerabilidade social. Capa do single ‘Não existe amor em SP’, de Milton Nascimento e Criolo
Divulgação
Resenha de single
Título: Não existe amor em SP
Artistas: Milton Nascimento e Criolo (com o piano de Amaro Freitas)
Compositor: Criolo
Gravadoras: Nascimento Música / Oloko Records
Cotação: * * * * *
♪ “Não precisa morrer para ver Deus”, ressaltam, quase em uníssono, Milton Nascimento e Criolo ao fim da regravação de Não existe amor em SP, standard do cancioneiro autoral de Criolo.
Balada de espírito soul que há nove anos ajudou o rapper paulistano a atravessar as fronteiras do hip hop com álbum consagrador, Nó na orelha (2011), Não existe amor em SP consegue enternecer e ainda surpreender, quase uma década depois, em gravação que reúne Milton e Criolo.
Feita seis anos após os artistas tendo juntado forças e vozes no show da turnê Linha de frente (2014), a inédita gravação está sendo apresentada em single e clipe lançados nesta sexta-feira, 24 de abril, como primeira amostra do EP Existe amor, previsto para ser editado em maio com quatro músicas.
Em registro minimalista, gravado em 4 e 5 de março em estúdio paulistano com produção de Daniel Ganjaman, Milton e Criolo adensam a canção do rapper com ênfase na melodia e sobretudo na letra de versos lapidares como “os bares estão cheios de almas vazias”.
Além das vozes dos intérpretes (Milton canta toda a letra primeiro e, depois, Criolo repete os versos até o breve encontro final), a gravação de quase seis minutos é pontuada unicamente pelo toque preciso do piano assombroso do músico pernambucano Amaro Freitas.
Na imponente gravação de 2011, feita em molde orquestral, Criolo captou o vazio existencial da maior metrópole do Brasil. Em 2020, o vazio na cidade de São Paulo (SP) também é literal devido ao isolamento social necessário para o combate da pandemia do coronavírus.
Essa mudança de cenário dá novo e pleno significado às imagens da cidade vazia que, no clipe dessa releitura de Não existe amor em SP, filmado sob direção de Beto Macedo e Denis Cisma, se alternam com takes da gravação em estúdio em que se vê close de Criolo emocionado e flagrantes de Milton lendo a letra a que dá voz com sensibilidade.
Contrariando o título do single Não existe amor em SP, Criolo e Milton usam a gravação inédita como gancho para o lançamento do movimento solidário #existeamor, projeto batizado com o nome do EP e criado para arrecadar doações destinadas à população que vive em condições de vulnerabilidade social, exposta à covid-19.
É possível que os ouvintes espectadores se mobilizem e ajudem, até porque não existe nada mais bonito nas plataformas de áudio e vídeo do que essa ressignificação de Não existe amor em SP com Criolo ao lado de Milton Nascimento.