Mercedes-Benz suspende contratos e reduz jornadas de trabalho em São Bernardo do Campo, SP


Acordo prevê redução de 25% da jornada para cargos administrativos e duas etapas para a suspensão de funcionários da produção, além de estabilidade dos empregos. Fábrica da Mercedes-Benz em São Bernardo do Campo (SP)
Divulgação
A Mercedes-Benz anunciou um acordo com funcionários para suspender contratos e reduzir as jornadas de trabalho na fábrica de São Bernardo do Campo (SP) a partir de 4 de maio, como efeito da pandemia do coronavírus. As medidas incluem ainda a garantia dos empregos.
Coronavírus: veja os efeitos na indústria automotiva
De acordo com a empresa, a suspensão temporária de contratos atingirá os colaboradores ligados diretamente à produção e funcionará em duas etapas:
Na primeira, cerca de 50% dos funcionários serão afastados entre 4/5 e 30/6;
Na segunda, com o retorno dos primeiros afastados, os outros 50% serão suspensos de 1/7 a 31/8;
A redução dos salários será feita de acordo com o patamar salarial de cada funcionário.
Já a redução de 25% da jornada entre 4/5 e 31/7 será dedicada apenas aos cargos administrativos que não estejam ligados à produção. Os funcionários que tiverem condições seguirão trabalhando em casa.
O acordo, feito entre a fabricante e o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, inclui ainda a estabilidade de emprego até 31 de dezembro de 2020, mas não contempla as unidades da Mercedes-Benz instaladas em Campinas (SP), Iracemápolis (SP) e Juiz de Fora (MG).