Mercedes-Benz amplia aliança com fabricante de baterias para alcançar 700 km de autonomia em carros elétricos


Acordo com a chinesa CATL inclui produção de baterias e fornecimento de sistemas completos para modelos elétricos. Tempo de recarga também deve cair. Produção de bateria para veículo elétrico em uma subsidiária da Daimler
Divulgação
A Daimler, dona da Mercedes-Benz, disse nesta quarta-feira (5) que está ampliando uma aliança com a fabricante chinesa CATL para entregar baterias capazes de entregar autonomia de 700 km para veículos elétricos.
Segundo o acordo com a CATL, a parceria incluirá o fornecimento de células e sistemas completos de baterias, além da combinação das pesquisas das empresas.
“Pretendemos liderar as tecnologias de bateria, por isso agora estamos combinando nosso conhecimento em pesquisa e desenvolvimento com parceiros ousados”, afirmou a Daimler em comunicado.
A parceria visa reduzir os ciclos de desenvolvimento, aumentar significativamente o alcance de baterias futuras por meio de avanços na densidade de energia e reduzir seu tempo de carregamento, disse a Daimler.
Mercedes-Benz EQC é o primeiro SUV elétrico da empresa
Divulgação
A CATL utilizará eletricidade de fontes renováveis de energia, como eólica, solar e hidrelétrica para a produção das células de bateria, informou o comunicado conjunto.
As fabricantes têm entrado em uma corrida pelo aumento da autonomia e na vida útil das baterias. Recentemente, a General Motors anunciou que está “quase lá” no desenvolvimento de uma bateria com duração de 1 milhão de milhas, ou 1,6 milhão de km.
Novas baterias da General Motors
Divulgação
A empresa também anunciou uma nova geração de baterias, chamada de Ultium. Segundo a GM, os veículos equipados com esses componentes terão autonomia de 645 km.
A rival Tesla também anunciou avanços no desenvolvimento da bateria de 1 milhão de milhas. A empresa de Elon Musk diz que pretende zerar a diferença de preços entre veículos elétricos e a combustão.