Meninas de 4 anos já estão infelizes com seus corpos: entenda

Muitas mulheres lidam diariamente com inseguranças e baixa autoestima, devido aos padrões de imagem corporal estabelecidos pela sociedade. E por mais que nós pensemos com clareza em regras estéticas durante a adolescência e a fase adulta, as crianças já sentem o impacto emocional dos modelos de corpo “ideais” impostos pela cultura.

Uma prova disso foi dada por Merissa Forsyth, fundadora de uma organização australiana sem fins lucrativos, focada em criar resiliência corporal em meninas de dois a seis anos. Ao participar de um podcast focado em assuntos familiares, ela revelou que 34% das meninas de 5 anos desejam fazer dieta, e 38% das garotas de 4 anos estão infelizes com seus corpos.

Por que isso acontece

Merissa alerta que as meninas estão sendo precocemente expostas a padrões de beleza, já que amigos, familiares, livros e até mesmo brinquedos infantis transmitem, mesmo que de forma sútil, que elas devem ter um determinado tipo de corpo. “Nessa fase, eles estão começando a aprender o que é valorizado e como querem ser e como devem ser”, explicou no podcast.

Como evitar que isso aconteça

Segundo Merissa, a educação infantil tem um grande impacto na imagem corporal. Quando as crianças se tornam adolescentes, as suas opiniões em relação ao próprio corpo já estão sendo construídas há mais de uma década. Por mais que seja possível alterar percepções prejudiciais, é importante que os adultos observem isso com antecedência, para evitar que seus filhos sofram com distúrbios de imagem.

Para entender a importância da autoestima para as crianças, e como nutrir esse sentimento nelas desde cedo, veja nossa matéria sobre o assunto.