‘Me too’ dos gamers leva mulheres a relatarem casos de abuso na indústria dos jogos


Plataforma de streaming disse que está investigando denúncias. Um dos principais acusados publicou vídeo pedindo desculpas por comportamento: ‘Não sou uma vítima’. O streamer de jogos SayNoToRage foi um dos principais acusados em ‘Me too’ dos gamers
Reprodução/Instagram
Dezenas de mulheres revelaram histórias de abuso envolvendo gamers, influenciadores, empresários e outras personalidades da indústria dos jogos e dos esportes eletrônicos. O movimento é inspirado no “Me too”, que abalou Hollywood em 2017.
Parte das denúncias envolvem nomes conhecidos da plataforma de streaming Twitch, que reúne transmissões de gamers e competições de eSports.
O serviço divulgou um comunicado sobre o assunto neste domingo (21) e disse que está investigando as acusações.
Initial plugin text
“Levamos a sério as acusações de agressão e assédio sexual. Estamos analisando os casos relativos a streamers afiliados ao Twitch e trabalharemos com a aplicação da lei, quando for necessário”, afirma o texto.
“Somos gratos à bravura demonstrada por quem se apresentou para falar sobre suas experiências e estamos comprometidos em trabalhar para tornar a comunidade de streaming mais segura para todos.”
Streamer acusado
Um dos principais alvos das denúncias é o streamer SayNoToRage, também conhecido como Lono e famoso por fazer transmissões do jogo “Destiny 2”.
A primeira acusação contra ele foi feita por uma outra usuária do Twitch. Ela relatou um encontro, em que o gamer a teria tocado de forma inapropriada enquanto os dois jogavam juntos, em 2017. Desde então, outras mulheres narraram episódios semelhantes envolvendo SayNoToRage.
O streamer publicou um vídeo nas redes sociais atribuindo suas ações a traumas que sofreu na adolescência. Mas, em seguida, apagou a gravação. Depois, postou outro vídeo, pedindo desculpas pelo seu comportamento.
“Quero deixar bem claro que não sou uma vítima nessa situação. Não há desculpa para o meu comportamento. Não há um jeito de encobrir isso. As coisas que eu fiz são inaceitáveis.”