Matrícula da Unicamp tem recepção a calouros com festa e projetos de mecânica


Matrícula presencial para os aprovados até a 4ª chamada do vestibular 2020 em Campinas (SP). Carro de corrida de competição internacional e projetos premiados foram apresentados aos novos estudantes. A Unicamp recebeu, na manhã desta segunda-feira (2), os calouros para a matrícula presencial. Com festa, integração e apresentação de projetos, os veteranos recepcionaram os aprovados de primeira a quarta chamadas do vestibular 2020 em Campinas (SP). A universidade espera confirmações de 3.925 estudantes selecionados na modalidade tradicional, para vagas via Enem e de convocados após premiações em olimpíadas de conhecimentos.
Clique aqui e veja a lista de documentos obrigatórios
A divisão administrativa da engenharia mecânica integrou os calouros que optaram pelo curso aos projetos e competições nacionais que a equipe participa. Vinícius Vieira Ferreira, de 20 anos, faz parte da divisão e expôs um carro “campeão”, construído pela equipe, para motivar os novos alunos a integrarem o grupo de trabalho.
“Somos uma equipe de Fórmula SAE, que é uma competição universitária mundial. Apresentamos o carro F2019, totalmente projetado por nós, demorou um ano para ficar pronto e ele vai correr a competição internacional. Ano passado a gente foi campão nacional. Repassamos nosso conhecimento para quem entra já no primeiro ano, porque vamos participar de uma competição nacional no final do ano”, explica.
Veteranos da engenharia mecânica da Unicamp recepcionaram calouros durante matrícula em Campinas (SP)
Naira Zitei/G1
A caloura do curso, Maria Eduarda Vieira Rangel, de 19 anos, se mudou da capital paulista para Campinas e já conheceu boa parte das atividades extracurriculares.
“Tem várias organizações das áreas e eles estão apresentando tudo para a gente. Estou interessada na robótica, no carro elétrico que estou querendo ver”, falou.
Equipe da engenharia mecânica apresentou projetos e prêmios para integração de calouros na Unicamp
Naira Zitei/G1
De Duque de Caxias para Campinas
Com apenas 18 anos, Letícia Andrade da Silva, de Duque de Caxias (RJ), viajou até Campinas para fazer a matrícula no curso de biologia. Ela conta que se apaixonou pela disciplina no ensino médio e passou no vestibular na primeira tentativa. A jovem deixou a família e Baixada Fluminense para traz para morar no interior de São Paulo.
“Nunca pensei em fazer biologia em grande parte da minha vida, mas no ensino médio eu descobri que adoro biologia. O pessoal é bem receptivo aqui, faz você se sentir em casa. Estou ansiosa para o início das aulas”, disse.
Letícia da Silva, de Duque de Caxias (RJ), viajou até Campinas (SP) para fazer a matrícula no curso de biologia
Naira Zitei/G1
Apoio familiar
Na Faculdade de Ciências Médicas (FCM), Júlia Vidal, de 21 anos, fez a matrícula para o curso de medicina na companhia de toda a família. Ela disse que fez quatro anos de cursinho porque queria cursar na Unicamp.
“Decidi no começo do ensino médio fazer medicina e desde então sabia que eu queria aqui na Unicamp. Vim com a minha mãe, meu pai, minha madrasta, meu padrasto, minha irmã e irmão. Está sendo melhor do que eu imaginava”, conta.
Família acompanhou a estudante de medicina Júlia Vidal durante matrícula na Unicamp
Naira Zitei/G1
ProFIS
Isaac Venâncio, de 18 anos, é calouro do ProFIS, curso da universidade voltado para estudantes que fizeram o ensino médio em escolas públicas de Campinas. A seleção dos estudantes para o curso é feita com base nas notas do Enem.
“A gente vai ficar dois anos aqui fazendo tais matérias que a Unicamp quer que a gente faça e a gente pode ingressar no curso que a gente quiser sem precisar de vestibular depois. Eu quero fazer engenharia elétrica. O meu pai falou que o ProFIS é o curso mais “amorzinho” da Unicamp, então estou sendo muito bem recebido aqui”, disse.
Isaac Venâncio é calouro do ProFIS na Unicamp, em Campinas (SP)
Naira Zitei/G1
Integração
Henrique Barbosa é veterano do curso de engenharia mecânica na Unicamp e ajudou os novos alunos no processo de matrícula, além de dar dicas para quem chega em Campinas pela primeira vez.
“Estamos orientando para a pessoa se encontrar. Qualquer dúvida sobre onde morar, onde comer, como funciona o curso. A gente fala se a pessoa está precisando de ajuda para se encontrar na cidade. Cada ano está melhor, as pessoas estão entrando menos perdidas”, explica.
Calouros da biologia na Unicamp receberam orientações durante processo de matrícula em Campinas (SP)
Naira Zitei/G1
* Sob a supervisão de Karoline Porto
Veja mais notícias da região no G1 Campinas