Marília Mendonça aposta na conveniência dos singles autorais originados de live


Cantora lança outra música de criação solitária na sequência de ‘Deprê’. ♪ Embora tenha sido projetada primeiramente como compositora no universo sertanejo, onde somente começou a ser fazer diferença como cantora a partir de 2015, Marília Mendonça tem se mantido recentemente no pódio com gravações de músicas alheias.
O maior sucesso da cantora goiana em 2020, Graveto, por exemplo, é composição de Edu Moura, Matheus Di Pádua e Normani Pelegrini.
Foi por conveniência – single que a artista lança nesta sexta-feira, 15 de janeiro – é música assinada por Marília Mendonça sem parceiros. Captada em live feita pela cantora no ano passado, sob a direção musical de Eduardo Pepato, a composição ganha registro fonográfico na sequência do single Deprê, editado em 4 de dezembro.
Deprê também é música da lavra solitária de Marília e, assim como Foi por conveniência, já tinha sido composta há algum tempo, mas permanecia no baú de inéditas da artista.
Às primeiras audições, Foi por conveniência soa sem cacife para se eternizar na memória do público sertanejo com a força de outras músicas do repertório sofrido da cantora.
Capa do single ‘Foi por conveniência’, de Marília Mendonça
Reprodução
♪ Eis a letra de Foi por conveniência, música lançada em single por Marília Mendonça:
“Bonito não é nem chega aos pés
Do conto de fadas que a moça sonhou
Não foi por querer foi por convencer
De tanto forçar ele se acostumou
Não soltou
Água mole na pedra bateu
De tão dura a pedra cedeu
Ela achou que era amor
Ele achou confortável ficou
Não foi por amor
Foi naquele domingo, de cama vazia
Saudade dos filhos, da mensagem de bom dia
Medo de morrer sozinho, pressão da família
Foi tudo menos isso que chamam de amor
Não teve pedido, nem data marcada
Nem quer casar comigo, nem beijo na escada
Em nome da solidão e da carência
Não foi por amor, foi por conveniência”