Marcos Valle tem álbum de 1983 reeditado na Europa em CD, cassete e LP de vinil verde e rosa


Capa da reedição em LP rosa do álbum ‘Marcos Valle’, de 1983
Reprodução
♪ Lançado originalmente em 1983, pela gravadora Som Livre, o álbum Marcos Valle ganha reedição no mercado europeu pelo selo inglês Mr. Bongo. Trata-se do disco que trouxe o cantor, compositor e músico carioca de volta às paradas do Brasil por conta do sucesso da faixa Estrelar (Marcos Valle e Paulo Sérgio Valle, 1983), música que se tornou o hino da malhação da geração saúde dos anos 1980 e que também foi lançada em single.
Decorridos 38 anos da edição original, o álbum Marcos Valle volta ao mercado fonográfico europeu nos formatos de LP, CD e fita cassete – previstos para a segunda quinzena de maio. A bossa é que, além da tradicional cor preta, o LP também será fabricado em vinil rosa e verde, em sintonia com as cores da foto da capa.
Marcos Valle foi o segundo álbum lançado pelo artista no Brasil na sequência da volta ao país em 1980, após cinco anos de vivência em Los Angeles (EUA). O disco foi produzido por Lincoln Olivetti (1954 – 2015) – presente como pianista, tecladista e arranjador na maioria das 10 faixas do álbum – e por Paulo Sérgio Valle, parceiro de Marcos em composições então inéditas, como Fogo do sol e Tapa no real, e nos standards Samba de verão (1964) e Viola enluarada (1968), rebobinados no repertório.
Capa da reedição em LP verde do álbum ‘Marcos Valle’, de 1983
Reprodução
O mix pop de boogie, funk e soul do álbum reverberou a influência do groove da música negra norte-americana nessa fase da discografia de Marcos Valle.
Contudo, o tempero brasileiro veio do suingue e dos toques de excepcionais músicos brasileiros como o guitarrista Robson Jorge (1954 – 1992), o saxofonista Oberdan Magalhães (1945 – 1984) e o trombonista Serginho Trombone (1949 – 2020), este também no comando do sintetizador moog.
Já presente no álbum que marcara a volta de Valle ao Brasil, Vontade de rever você (1980), o músico norte-americano Leon Ware assinou com Marcos e Paulo Sérgio Valle as músicas Dia D e Mais que amor (faixa arranjada com cordas orquestradas pelo maestro Eduardo Lages).
Pilotando o piano elétrico, Marcos Valle mostrou nesse atualmente cultuado álbum de 1983 que estava antenado com as bossas da década de 1980.