Malía entra com Léo Santana na onda da mistura do funk carioca com pagode baiano


♪ “Da CDD pro mundo”, mapeia e projeta Malía na fala introdutória de Onda, single inédito gravado pela artista carioca com o cantor baiano Léo Santana, voz do pagode made in Salvador (BA).
Nas plataformas desde a noite de quinta-feira, 11 de fevereiro, em edição da gravadora Universal Music, o single tem produção musical assinada por Mario Caldato Jr. e entra na onda que mistura o funk carioca com o pagode baiano, na “conexão RJ-Salvador” mencionada por Léo Santana na gravação.
CDD, a propósito, é a abreviatura de Cidade de Deus, grande favela da zona oeste carioca onde Malía nasceu em dezembro de 1998 – com o nome de Isadora Machado – e onde se criou, atenta aos sinais da música ouvida na comunidade.
Na letra de Onda, música composta pela própria Malía, a cantora e compositora saúda a colega antecessora Tati Quebra Barraco, estrela do funk, também egressa da Cidade de Deus.
Com um álbum no currículo, Escuta (2019), lançado há dois anos, Malía entrou em cena em coletivo do bairro carioca de Madureira e, através de vídeos postados na internet, acabou sobressaindo na multidão virtual.
Em essência, Malía transita pelo rap e pelo funk – como mostra no single Onda – sem deixar de incursionar pelo R&B, sempre caindo no suingue da música black do mundo. Da CDD para o mundo.
Capa do single ‘Onda’, de Malía com Léo Santana
Divulgação