Mais um bicho-preguiça é levado para o Jardim Botânico em Juiz de Fora


O animal foi encontrado no Bairro Aeroporto e é o quarto a ser encaminhado para o local desde 2016, o segundo neste ano. Bicho-preguiça foi encaminhado para o Jardim Botânico em Juiz de Fora
Breno Moreira-Jardim Botânico/Divulgação
O Jardim Botânico da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) recebeu nesta semana mais um bicho-preguiça. O animal foi encontrado no Bairro Aeroporto e é o quarto a ser encaminhado para o local desde 2016, o segundo neste ano.
De acordo com a UFJF, se trata de um animal jovem da espécie Bradypus variegatus. O bicho-preguiça foi encontrado próximo ao posto policial do bairro e foi capturado foi realizada pelo Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas/IEF).
Segundo o vice-diretor do Jardim Botânico, Breno Moreira, a área é o principal destino desses animais, tendo em vista que tem 512 hectares e vasta vegetação. Ele destacou ainda que a aparição destes animais é comum nesta época, período de reprodução.
“Durante esse período, eles tendem a ampliar sua movimentação, deslocando-se entre fragmentos de florestas em busca de parceiros sexuais. É comum, então, que acabem transitando por áreas antropizadas, entrando em contato com a população humana”, explicou.
O bicho-preguiça é um animal mamífero encontrado nas Américas. Ele tem hábitos diurnos e noturnos e, graças às garras, vive pendurado em copas de árvores, se alimenta de folhas, ramos e brotos de várias plantas.
De acordo com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), não há uma expectativa de vida precisa sobre esses animais. Machos e fêmeas atingem a maturidade sexual com seis anos, quando então alcançam peso e tamanho de um adulto.