Mais 6 cidades de Rondônia aderem aplicativo para denúncia de queimadas urbanas


Jaru e Ji-Paraná já fazem uso da plataforma Guardiões da Amazônia. Meta é expandir ferramenta virtual por toda região, diz idealizador. Queimadas podem ser denunciadas pelo app Guardiões da Amazônia.
Fábio Tito/G1
Mais seis cidades de Rondônia aderiram ao aplicativo “Guardiões da Amazônia”, lançado este mês para denúncias de queimadas. O programa foi desenvolvido pela 17ª Brigada de Infantaria de Selva em meio a Operação Verde Brasil 2 e pode ser baixado pelo sistema Android. As secretarias de Meio Ambiente de Jaru e Ji-Paraná já fazem o uso da plataforma.
Segundo o idealizador do programa, José Mário Fraga Miranda, da 17ª Brigada de Infantaria e Selva do Exército, o objetivo é expandir o uso por toda Amazônia.
Baixe o app aqui
“A ideia foi criar uma ferramenta para que mesmo órgãos com limitações de estrutura como pequenas secretarias de meio ambiente, tivessem condições de fazer uso da tecnologia em favor do meio ambiente e da Amazônia”, disse.
As outras cidades que já fazem uso são:
Porto Velho;
Vilhena;
Guajará Mirim;
Espigão D’Oeste;
Candeias do Jamari e;
Ouro Preto do Oeste.
Guardiões da Amazônia já funciona em 8 cidades de Rondônia.
Divulgação/José Mário Fraga Miranda
O formato móvel do app é usado para envio de denúncias, enquanto o de web é restrito aos órgãos parceiros de fiscalização.
Para baixar o Guardiões da Amazônia, é só acessá-lo em qualquer loja virtual e fazer o download que, na sequência, será instalado no celular automaticamente. A ferramenta virtual possui uma interface de simples navegação.
O objetivo é permitir que os órgãos de controle e fiscalização possam agir com mais eficiência para apurar e autuar os responsáveis pelas queimadas.
O aplicativo é usado por equipes da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Secretaria de Estado de Desenvolvimento Ambiental (Sedam), Exército Brasileiro, IBAMA, ICMBio, Abin e Polícia Federal e Corpo de Bombeiros do Estado de Rondônia.
Com o sistema, é possível identificar o local exato do foco de queimada a partir de uma foto enviada pelo denunciante. Os registros também permitem que os órgãos de controle e fiscalização acessem as coordenadas geográficas.
App Guardiões da Amazônia.
Divulgação/Google Play
A aplicação ainda tem a opção de registrar as proporções do crime ambiental em si, além de um campo para descrever observações.
A foto será usada como prova contra os responsáveis pelo delito, já que o banco de dados conseguirá registrar o local exato da queimada com latitude, longitude e o tamanho da área afetada.
O aplicativo também conta com sistema de gamificação, mecanismo usado para aumentar o engajamento dos usuários. No Guardiões da Amazônia, quanto mais denúncias válidas se faz, mais pontos se ganha.
A pontuação de cada denúncia varia de acordo com a avaliação que os órgãos parceiros fazem da relevância daquela queixa. Ou seja, quanto mais relevantes, mais pontos. Ao alcançar determinadas pontuações, o usuário recebe medalhas virtuais (bronze, prata, ouro e diamante).