Maestro Tiquinho sopra o trombone com poesia em álbum que sintetiza 40 anos de carreira do artista


Chico César, Fernanda Takai e Zeca Baleiro participam do primeiro disco solo do músico de bandas como Clube do Balanço e Funk Como Le Gusta. ♪ Na certidão de nascimento, para efeitos civis, o nome dele é Marco Aurélio de Santis. No mundo da música, todo mundo o conhece como Maestro Tiquinho, trombonista, arranjador (de sopros) e compositor.
E, por isso mesmo, é como Maestro Tiquinho que o artista assina o primeiro álbum solo, Trombonesia, síntese de quatro décadas de trajetória profissional que inclui sons tirados com grupos já extintos (como Professor Antena) e com big bands que caem no suingue, casos do Clube do Balanço e de Funk Como le Gusta. Sem falar na atividade como músico de estúdio (requisitado para discos de grandes estrelas da música do Brasil) e de bandas arregimentadas por cantores do naipe de Jorge Ben Jor, Seu Jorge e Zeca Baleiro.
Produzido por BiD, o álbum Trombonesia está disponível em edição digital – desde 30 de outubro – e em CD, cuja capa e encarte expõem artes criadas por Gian Paolo La Barbera.
Capa do álbum ‘Trombonesia’, de Maestro Tiquinho
Arte de Gian Paolo La Barbera
Como o título Trombonesia tenta sugerir, Tiquinho sopra o trombone com poesia, evocando o dub poetry, gênero que irrompeu nos anos 1970 na Jamaica e na Inglaterra, unindo versos ao balanço de ritmos como o reggae.
No álbum, Tiquinho entra com o trombone, com as músicas – Caixinhas, De boa, Minha flor e Por um final melhor, entre outras composições autorais – e com os arranjos. Já a poesia fica a cargo de convidados como Chico César (Oriente-se), Fernanda Takai (Tempo tempo) e Zeca Baleiro (Movimiento, com versos em português, ao contrário do que sugere o título em espanhol).
Em Trombonesia, disco cuja gênese é enfocada em minidocumentário produzido a partir de registros audiovisuais da gravação e lançado simultaneamente com o álbum, Maestro Tiquinho sopra o trombone na companhia de trio formado por Che Alexandre Caparroz (bateria), Edu SattaJah (contrabaixo elétrico e acústico) e Rogério Rochlitz (piano acústico, órgão Hammond e piano elétrico).