Luíza Boê reúne Flaira Ferro e Illy em álbum produzido por Kassin com mix de sintetizadores e percussão


Intitulado ‘Amanheci’, o disco sai em setembro com músicas como ‘Fortaleza’, ‘Martim’ e ‘Purpurina cósmica’. ♪ Cantora e compositora de origem mineira, nascida em Lajinha (MG) e criada em Vitória (ES), Luíza Boê lança em setembro o segundo álbum, Amanheci, de título inspirado pela letra de Azul, música já previamente apresentada em julho como primeiro single do disco de repertório inédito e autoral.
Sucessor do álbum Luíza Boê (2018) e do EP Terramar (2019) na discografia da artista, o álbum Amanheci tem produção musical assinada por Kassin e está calcado na mistura dos timbres de sintetizadores com o batuque orgânico da percussão.
Por indicação de Kassin, coube a Léo Reis – multi-instrumentista e produtor musical de Salvador (BA), reconhecido pela habilidade como percussionista – comandar o baticum do disco gravado durante cinco dias de setembro de 2020 em imersão de Luíza com Kassin e Léo no estúdio Marini, na cidade do Rio de Janeiro (RJ).
Luíza Boê canta a música ‘Fortaleza’ com Flaira Ferro
Rodolpho Pupo / Divulgação
Já as vozes da cantora foram captadas no estúdio Rafael Laurenti, na cidade de São Paulo (SP), em janeiro deste ano de 2021. Foi quando Luíza Boê pôs voz em músicas inéditas de lavra própria como Eu quero encontrar um amor, Fortaleza, Martim e Purpurina cósmica.
Eu quero encontrar um amor tem a participação do cantor francês Victor Bessière. Gravada com os toques de Kassin (teclados e programações), Léo Reis (percussão e programações) e Madhuri (maracá), Fortaleza junta Luíza Boê com a cantora pernambucana Flaira Ferro em faixa escolhida para aportar nos aplicativos de música na sexta-feira, 27 de agosto, como segundo single do álbum Amanheci.
Já Martim tem a presença de Illy, convidada natural da gravação dessa música composta por Luíza Boê para saudar Martim, filho de Illy, nascido em 2020.