Linfoma não Hodgkin: entenda o câncer de Caike Luna


Caike tinha 42 anos e, em abril, comunicou aos fãs que estava tratando um linfoma não Hodgkin. Entenda o que é o linfoma, quais são os tratamentos possíveis e os principais sintomas. Caike Luna, ator que fazia ‘Zorra Total’, morre aos 42 anos
O ator Caike Luna, conhecido pelo personagem Cleitom, do programa “Zorra Total”, morreu na manhã deste domingo (3). A morte do artista foi confirmada pela humorista Katiuscia Canoro.
Caike tinha 42 anos e, em abril, comunicou aos fãs que estava tratando um linfoma não Hodgkin. “Daqui a pouco colocarei um cateter para iniciar um tratamento contra um linfoma não Hodgkin que me habitava enquanto eu iludia. Vida real. Qualquer recado, me mandem por Jesus, o Cristo…” escreveu Caike em sua conta no Instagram.
A seguir, entenda o que é o linfoma não Hodgkin, quais são os tratamentos possíveis e os principais sintomas.
Compartilhe esta notícia no WhatsApp
Compartilhe esta notícia no Telegram
O que é o linfoma não Hodgkin?
De acordo com o INCA (Instituto Nacional do Câncer), o linfoma não Hodgkin (LNH) é um tipo de câncer que tem origem nas células do sistema linfático e que se espalha de maneira não ordenada. Existem mais de 20 tipos diferentes de linfomas não Hodgkin.
O sistema linfático faz parte do sistema imunológico, que ajuda o corpo a combater doenças. E, como o tecido linfático é encontrado em todo o corpo, o linfoma pode começar em qualquer lugar, dificultando o diagnóstico. O linfoma pode atingir crianças, adolescentes e adultos, mas é mais comum em pessoas mais velhas.
Quais são os principais sintomas?
O principal sintoma do linfoma não Hodgkin é o aumento dos gânglios linfáticos, que se manifesta pelo surgimento de caroços em regiões como o pescoço, virilha e axila. Outros sintomas podem incluir febre, suor noturno, tosse, coceira na pele e perda de peso.

Veja também
REPERCUSSÃO: Famosos lamentam morte de humorista
FOTOS: relembre a carreira do ator
Quais são as opções de tratamento?
Entre as opções de tratamento, estão a quimioterapia, a imunoterapia, a radioterapia e o transplante de medula óssea. Segundo informações da Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia (Abrale), as chances de cura são, em média, de 60% a 70%. Caike Luna estava passando por sessões de quimioterpia.
Caike Luna contou aos fãs em abril de 2021 sobre diagnóstico de linfoma não Hodgkin
Reprodução/Instagram
Quais as diferenças entre o linfoma de Hodgkin e o linfoma não Hodgkin?
Apesar de terem sintomas parecidos, os linfomas de Hodgkin e não-Hodgkin são diferentes. De acordo com o Hospital Oswaldo Cruz, no Rio de Janeiro, a diferença entre eles está na característica das células encontradas no tumor. Somente após biópsia é possível fazer a diferenciação. O linfoma de Hodgkin apresenta alto índice de cura com quimioterapia de primeira linha. Isso quer dizer que, logo no primeiro tipo de tratamento que o paciente faz, ele tem boas chances de apresentar bons resultados.
Famosos com linfoma não Hodgkin
Outros famosos, como os atores Edson Celulari e Reynaldo Gianecchini, a ex-presidente Dilma Rousseff e a autora de telenovelas Glória Perez também tiveram a doença diagnosticada.