Lazzo Matumbi, voz ativista da Bahia, tem documentados os 40 anos de carreira solo como cantor


♪ Antes de ficar popularizado como Lazzo Matumbi, um dos mais importantes cantores e compositores do universo musical afro-baiano, o soteropolitano Lázaro Jerônimo Ferreira já foi conhecido como Lazinho do Ilê – em alusão ao fato de ter sido um dos vocalistas do bloco afro Ilê Aiyê de 1978 a 1980 – e Lazinho Diamante Negro.
Voz ativista da Bahia, de importância fundamental na popularização do samba-reggae e do reggae, Lázaro virou Lazzo Matumbi em 1981, ano em que iniciou carreira solo com a edição de single duplo autoral com as músicas Salve a Jamaica (Homenagem a Bob Marley) e Guarajuba.
Esses 40 anos de caminhada solo são sintetizados em documentário filmado sob a direção da cineasta Urânia Muzanzu e em fase de finalização. As gravações aconteceram em locações como o Teatro Castro Alves, em Salvador (BA), cidade natal do artista que completará 64 anos em 24 de março.
Para quem não liga o nome ao som, Lazzo Matumbi é o compositor de músicas como Alegria da cidade (1988, em parceria com Jorge Portugal), Kindala (1991, em parceria com José Carlos Capinan) e Me abraça e me beija (1988, em parceria com Gileno Félix), entre outros temas.
Lazzo Matumbi é tema de documentário dirigido por Urânia Muzanzu
Alfamor / Divulgação