KTM muda operação no Brasil e espera dobrar vendas no ano que vem


Além de aumentar a produção em Manaus, empresa espera trazer 7 motos novas até 2023. A nova 390 Duke foi uma das novidades apresentadas pela KTM no Salão Duas Rodas 2019
André Paixão/G1
Após confirmar a participação no Salão Duas Rodas “aos 47 do segundo tempo”, a KTM apresentou poucas novidades no evento. Porém, a empresa espera grandes resultados no Brasil nos próximos 4 anos.
Isso porque os austríacos modificaram a forma de atuar no Brasil. Antes, tanto produção, como operação eram feitos em parceria com a Dafra. Agora, a comercialização ficará a cargo da Factory Powersports.
Durante o evento, o G1 conversou com Fábio Campos, um dos sócios da Factory, que explicou os próximos passos da KTM no país.
“Vimos que há um trabalho a ser feito muito maior do que o que estava acontecendo. O Brasil tem um grande potencial. A demanda é muito grande, e não tínhamos como atender”, disse.
A solução, segundo Campos, foi investir no aumento da produção, expansão da rede e renovação da linha de produtos, com novidades até 2023.
No entanto, o público do Salão Duas Rodas terá que esperar até que modelos inéditos desembarquem no Brasil. No edição deste ano, as novidades da KTM se resumem à linha 2020 das 200 Duke e 390 Duke, vendidas por R$ 17.490 e R$ 24.990, respectivamente.
KTM 200 Duke 2020
André Paixão/G1
Mas, para 2020, a KTM espera mais que dobrar as vendas no país, passando das atuais 1,6 mil unidades previstas para 2019, para mais de 3,5 mil no próximo ano. “Nosso objetivo, já com a nova operação consolidada, é chegar a 10 mil unidades em 2023”, explica Campos.
Mais funcionários
Para suportar o aumento das vendas, a fábrica da Dafra em Manaus receberá o reforço de 100 funcionários, que atuarão em um novo turno de produção. O escritório, em São Paulo, também contou com a contratação de 20 novos empregados.
Parte do aumento das vendas passa também pela expansão da rede de concessionárias. A malha deve passar das atuais 25 lojas para, pelo menos, 30 no ano que vem, chegando aos 100 pontos daqui 4 anos.
E os produtos?
“Pretendemos aumentar a linha street em 4 modelos, e a linha off-road em 3 modelos. Tudo já nos modelos 2021, com chegada prevista para o fim do ano que vem”, falou.
No entanto, o sócio da Factory não confirmou quais serão esses modelos. Mas indicou os que têm maior chance de chegarem ao Brasil.
“Temos muito interesse nas novas Adventure 250, 390, 790. Estamos estudando a viabilidade, e a chegada deve acontecer a partir do final de 2020, e a 390 é a que deve ter a melhor aceitação”, disse.
Outra candidata forte é a 790 Duke, que seria uma opção intermediária da família, entre a 390 e a 1290.