Justin Bieber pede U$20 milhões de indenização por alegações de abuso sexual


Ele nega relato e ação cita ‘temporada de caça para qualquer um fazer qualquer alegação (não importa quão vil, infundada e provavelmente falsa) sem consequências’. Justin Bieber se apresenta no Allianz Parque, na Zona Oeste de São Paulo
Flavio Moraes/G1
Justin Bieber abriu uma ação civil de difamação de US$ 20 milhões (cerca de R$ 110 milhões) contra duas mulheres que o acusaram de abuso sexual.
O astro canadense entrou com o processo no Tribunal Superior de Los Angeles na quinta-feira (27), depois de dizer no Twitter, no início desta semana, que a afirmação de que ele agrediu uma mulher sexualmente em 2014 é “factualmente impossível”.
A ação civil diz que as duas mulheres estavam “tentando capitalizar o clima de medo que permeia a indústria do entretenimento, Hollywood e a América corporativa, e por isso está aberta a temporada de caça para qualquer um fazer qualquer alegação (não importa quão vil, infundada e provavelmente falsa) sobre qualquer um sem consequências”.
A mulher, que se identificou como Danielle, mas que disse estar publicando anonimamente, disse em um tuíte apagado desde então que foi agredida sexualmente pelo cantor em um hotel de Austin, no Estado norte-americano do Texas, no dia 9 de março de 2014.
A outra mulher, que se identificou como Kadi, disse no Twitter que foi agredida sexualmente por Bieber em um quarto de hotel de Nova York em maio de 2015.
A ação civil disse que as duas acusações são “mentiras revoltantes, fabricadas” e pede um julgamento com júri e 20 milhões de dólares de indenização.
Justin Bieber já tinha negado as acusações em suas redes sociais.
Não foi possível contatar nenhuma das duas mulheres nesta sexta-feira para obter comentários, e os representantes de Bieber não responderam a pedidos de comentário sobre a ação civil.
One Direction x Justin Bieber: G1 compara discos de 2015 faixa a faixa