Juliano Cazarré estrela ‘Dente por dente’, suspense sobre violência e luta por moradia: ‘espelho do Brasil’


Filme estreia nesta quinta (28) e tem Paolla Oliveira e Renata Sorrah no elenco. Ator diz que está reservado para nova novela e critica ‘cultura do cancelamento’ na internet. Juliano Cazarré estrela suspense ‘Dente por dente’
Divulgação
Violência social, luta por moradia e desaparecimentos de quem tenta gritar por tudo isso se misturam no suspense “Dente por dente”, que alterna sonho e realidade do protagonista vivido por Juliano Cazarré. Dirigido por Júlio Taubkin e Pedro Arantes, o filme estreia nesta quinta-feira (28) em 116 salas de cinema.
Violência social, luta por moradia e desaparecimentos de quem tenta gritar por tudo isso se misturam no suspense “Dente por dente”, que alterna sonho e realidade do protagonista vivido por Juliano Cazarré. Dirigido por Júlio Taubkin e Pedro Arantes, o filme estreia nesta quinta-feira (28) em 116 salas de cinema.
Cazarré vive o segurança Ademar, sócio de uma empresa que presta serviço para uma grande construtora de São Paulo. Quando seu sócio Teixeira (Paulo Tiefenthaler) desaparece, ele começa a investigar um esquema criminoso da empreiteira e a relação com movimentos de luta por moradia.
O ator conduz a história basicamente sozinho, com a ajuda de alguns personagens secundários. Paolla Oliveira e Renata Sorrah, que aparecem em destaque nos anúncios do filme, fazem pequenas participações. Para Cazarré, a solidão em cena foi fundamental para descobrir como lidaria com o desafio de encarar um suspense:
“Quando recebi o roteiro, gostei muito da história e também de ser um suspense. Mudou minha atuação, eu geralmente sou mais contido e agora tive que aprender a lidar com reações e sustos. Foi muito gostoso fazer esse exercício. E também ver que qualquer tipo de cinema pode mostrar a realidade. Ariano Suassuna fazia isso muito bem com a comédia”, conta.
Renata Sorrah, Juliano Cazarré e Paolla Oliveira em cartaz do filme ‘Dente por dente’
Divulgação
Para criar esse “justiceiro”, Juliano e a equipe do filme visitaram ocupações e movimentos que lutam por moradia. “É um espelho da realidade brasileira. E, com a pandemia, o mercado imobiliário aqueceu ainda mais,”, diz o ator.
“O filme é uma denúncia a essa violência, mas também uma denúncia estética. Em São Paulo, como também em grandes centros urbanos pelo mundo, Barcelona, Paris, Nova York, há prédios cada vez maiores. Esse estupro estético que é a arquitetura contemporânea, que transforma bairros e casas com cara de pessoas em prédios horrorosos e impessoais.”
Quarentenado, religioso e cancelado
Temporada 2019 da Paixão de Cristo será de 13 a 20 de abril
Joalline Nascimento/G1
O ator passou a maior parte de 2020 dentro de casa, auxiliando os três filhos com as aulas on-line e a gravidez da esposa Letícia. Ele também se tornou religioso: voltou a frequentar missas, se casou na igreja depois de 10 anos de casamento civil e batizou a primeira filha de Maria Madalena.
“A minha volta para a Igreja Católica e minha relação com Deus ajudaram a melhorar as minhas ansiedades e eu fico com vontade de compartilhar isso com quem gosta de mim. Nas capitais do Brasil, você é alvo de deboche quando diz que acredita em Deus, mas no interior isso é muito forte”, diz.
O ator já foi “cancelado” na internet por comentários sobre masculinidade. Em 2019, foi acusado de ter sido machista ao publicar a seguinte frase: “PROVER E PROTEGER: a masculinidade faz do mundo um lugar mais seguro”.
Nas redes sociais, ele costuma ironizar as críticas que recebe. Ao G1, diz que “não acredita em cancelamento”, mas acha um comportamento perigoso. “A gente tem que ficar muito atento porque essa turma não sabe com o que está mexendo. O fascismo, o nazismo e a União Soviética também faziam isso.”
“Tem uma galera que fica assim ‘alô, Globo, vem ver o que o seu ator está falando’. E quer o que? Que a pessoa seja demitida, quer o fim, a derrota daquela pessoa só porque ela não acredita na mesma coisa que você? Isso é perigoso, gente.”
O ator conta que só saiu de casa entre agosto e outubro, para finalizar as gravações de “Amor de mãe”, novela das 21h. Mesmo assim, ele já quer gravar outra. Ele também conta que está escrevendo um livro de poesia infantil inspirado nos filhos.
“Minha vontade é voltar para as novelas, eu gosto muito de fazer. ‘Amor de mãe’ começou e parou, a segunda parte foi menor do que o tínhamos programado, então fiquei com gostinho de quero mais. Sei que estou reservado para uma próxima, mas como ainda não recebi convite oficial, não posso falar.”
VÍDEOS: Semana pop explica temas do entretenimento