Johnny Hooker ambiciona subir ao pódio pop nativo com o single ‘Amante de aluguel’


Embora fiel ao brega, artista atualiza sonoridade com música inédita que anuncia álbum autoral inspirado por livro erótico. Capa do single ‘Amante de aluguel’, de Johnny Hooker
Divulgação
Resenha de single
Título: Amante de aluguel
Artista: Johnny Hooker
Composição: Johnny Hooker, Erica Colaço, DJ Thai e Arthur Marques
Edição: Edição independente do artista
Cotação: * * *
♪ “Amante de aluguel / Prometeu o céu / Nessa cama de motel / Amante de aluguel / Que você usa / E manda embora”, martela Johnny Hooker, sem rimar todos os versos, no refrão fácil de Amante de aluguel, música inédita com a qual o cantor e compositor pernambucano apresenta o álbum que lança em novembro.
O single Amante de aluguel aporta às 20h de quarta-feira, 20 de outubro, com certo teor de novidade no som do artista, a começar pelo canto (um pouco) menos esganiçado do que o habitual.
Hooker continua fiel ao brega, matéria-prima do álbum – Eu vou fazer uma macumba pra te amarrar, maldito! (2015) – que deu projeção nacional ao cantor há seis anos no embalo da propagação da música Volta (Johnny Hooker) na trilha sonora do cultuado filme pernambucano Tatuagem (2013). Só que o brega entranhado em Amante de aluguel foi passado pelo filtro pop que dá a medida do sucesso no mainstream da atual cena musical do Brasil.
Feita com produção musical orquestrada por Tiago Abrahão com o próprio Johnny Hooker, a gravação da música Amante de aluguel deixa entrever que o cantor ambiciona disputar o mercado e o público que entronizaram Pabllo Vittar como uma das divas do pop nacional. Até pela brasilidade estilizada e embutida na gravação encerrada com coro de tonalidade sacra, Hooker remete a Vittar no single.
Composição creditada a Johnny Hooker em parceria com DJ Thai e Arthur Marques, DJ Thai e Erica Colaço, Amante de aluguel é pop brega à moda do repertório de Vittar e Cia. – o que distancia o single do tom do álbum anterior do cantor, Coração (2017), disco plural em que Hooker se abriu para gêneros musicais como samba, marcha-frevo e soul (mote da balada Flutua, destaque da safra autoral anterior do artista).
Johnny Hooker lança álbum em novembro com músicas inéditas
Reprodução / Facebook Johnny Hooker
Inspirado pelos relatos eróticos feitos pelo dramaturgo, ensaísta e poeta argentino Tulio Carella (1919 – 1972) no livro Orgia – Diários de Tulio Carella – Recife, 1960, editado no Brasil em 1968, o próximo álbum de Johnny Hooker pretende refletir sobre o amor e o sexo dentro do opressor contexto político do Brasil de 2021 e, ao mesmo tempo, evocar a antiga efervescência social de Recife (PE), cidade onde Hooker nasceu em agosto de 1987 – com o nome de John Donovan Maia – e na qual viveu por 21 anos.
No single Amante de aluguel, o sexo marginal é o elo do livro com a música formatada com sons sintéticos, com todos os instrumentos sendo tocados pelo beatmaker e produtor musical fluminense conhecido como DJ Thai, nome ascendente e já recorrente em produções do pop brasileiro.
Do ponto de vista musical, Amante de aluguel deixa claro que Johnny Hooker ambiciona galgar degraus para subir ao pódio pop nativo e ficar ao lado de colegas como Pabllo Vittar.