Jeff Bridges publica foto de tratamento após diagnóstico de linfoma


‘Essa coisa de câncer está provocando sentimentos de preciosidade, e de gratidão, e do bom amor à moda antiga’, escreveu ele, que tem 70 anos, em rede social. Ator promete publicar atualizações em seu site. Jeff Bridges em tratamento após descoberta de linfoma
Reprodução/Twitter/TheJeffBridges
O ator americano Jeff Bridges, conhecido por filmes como “O grande Lebowsky” (1998) e ganhador do Oscar por “Coração louco” (2009), publicou nesta quinta-feira (29) uma imagem de seu tratamento, a primeira desde que foi diagnosticado com linfoma.
Ele também prometeu que vai manter o púbico atualizado através de seu site.
Initial plugin text
“Nova merda foi revelada – eu tenho câncer”, escreveu o ator, em nova referência a uma das falas mais conhecidas de “O grande Lebowsky”.
“Mas essa não foi a única merda que foi revelada. Essa coisa de câncer está provocando sentimentos de preciosidade, e de gratidão, e do bom amor à moda antiga, e muito disso tudo, de verdade. Estou sentindo tanto do que estão me enviando e, cara, eu agradeço. É contagiante, todo esse amor, como um tipo positivo de vírus.”
O linfoma é um câncer que afeta as células do sistema linfático – ele é uma parte importante do sistema imunológico. Trata-se do sistema de defesa do nosso organismo, que ajuda a combater infecções. No linfoma, essas células passam a se proliferar de forma descontrolada (clique aqui para saber mais sobre a doença).
The Dude (ou O Cara)
Jeff Bridges, John Goodman e Steve Buscemi em ‘O Grande Lebowski’
Divulgação
Ao longo de uma carreira iniciada ainda na década de 1950, Bridges teve sete indicações ao Oscar e levou a estatueta uma vez. O papel que lhe rendeu o prêmio foi o de um cantor country alcoólatra que tenta voltar aos seus dias de glória.
Já no célebre e cult “O grande Lebowsky”, dirigido pelos irmãos Ethan e Joel Coen, ele foi um maconheiro que vivia de roupão de banho, num filme estranho sobre boliche.
O longa não ganhou o Oscar, teve críticas apenas medianas e não chegou a fazer sucesso de bilheteria. Mas se tornou fenômeno cultural. Foi criada, inclusive, uma seita – o “Dudeism”, inspirado no personagem de Bridges, The Dude (O Cara, em português). Clique aqui para ler mais.
VÍDEOS: Semana Pop explica temas do entretenimento