Jacob do Bandolim tem vida e obra expostas em biografia prevista para janeiro


♪ Em 2018, o cancioneiro autoral de Jacob Pick Bittencourt (14 de fevereiro de 1918 – 13 de agosto de 1969) – nome do músico e compositor carioca imortalizado como Jacob do Bandolim – foi regravado por instrumentistas em série de discos idealizados para celebrar o centenário de nascimento do influente artista.
Nessa ocasião, Gonçalo Junior – jornalista e escritor baiano residente na cidade de São Paulo (SP) – já estava concluindo biografia de Jacob.
Livro resultante de pesquisa em cerca de sete mil documentos do acervo do artista, de audição de dezenas de gravações do músico e da realização de 30 entrevistas, a biografia Jacob do Bandolim – Um coração que chora já está pronta, está em fase de captação de recursos para a edição – a ser viabilizada através da plataforma de financiamento coletivo – e tem lançamento previsto para janeiro de 2021.
Trata-se da segunda biografia do artista. Em 1997, a professora Ermelinda A. Paz lançou a biografia Jacob do Bandolim pela Funarte. Decorridos 23 anos, Gonçalo Junior lança outro olhar sobre Jacob do Bandolim, músico genial e genioso que dizia que as cordas do bandolim que manuseava com maestria não eram de aço, mas feitas das fibras do coração.
O coração emotivo e temperamental do músico parou de bater aos 51 anos e fez Jacob deixar obra magistral e alguns segredos, como o fato de ter sido filho de prostituta e cafetina judia, de origem polonesa, que atuava no bairro carioca da Lapa, um dos centros da boemia do Rio de Janeiro (RJ), cidade onde Jacob nasceu e morreu.
Jacob do Bandolim (1918 – 1969) deixou segredos revelados no livro escrito pelo jornalista Gonçalo Junior
Reprodução / Facebook Instituto Jacob do Bandolim
No livro, Gonçalo Junior também expõe a relação turbulenta do músico com o filho Sérgio Bittencourt (1941 – 1979), compositor de Naquela mesa (1972), música em que Sérgio celebrou a memória do pai com quem viveu em constante desarmonia até 1967, ano do primeiro infarto sofrido por Jacob, ás do bandolim.
Gonçalo Junior – cabe lembrar – já publicou boas biografias de nomes da música brasileira como Assis Valente (1911 – 1958), Evaldo Braga (1947 – 1973) e Vadico (1910 – 1962).
Com 672 páginas, sendo 32 coloridas, a biografia Jacob do Bandolim – Um coração que chora chegará ao mercado através da editora Noir, apresentando fotos raras e a discografia completa do músico. O livro tem o apoio do Instituto Jacob do Bandolim.
Capa da biografia ‘Jacob do Bandolim – Um coração que chora’
Arte de André Hernandez