Ivry Gitlis, renomado violinista, morre aos 98 anos


O artista foi o primeiro israelense a se apresentar na URSS, em 1955, além de ser o fundador de vários festivais e um fervoroso defensor do processo de paz entre Israel e Palestina. O violinista Ivry Gitlis durate apresentação em Paris
BERTRAND LANGLOIS / AFP
O virtuoso e mundialmente famoso violinista Ivry Gitlis faleceu na manhã desta quinta-feira (24) aos 98 anos em Paris, anunciou David Gitlis, um dos seus quatro filhos, à AFP.
Durante sua carreira, o músico tocou nos mais prestigiados palcos, para públicos diversos e com as maiores orquestras.
Embaixador da Boa Vontade da Unesco, este israelense radicado na França tinha um lugar especial no mundo da música clássica: conhecido por suas interpretações, às vezes atípicas, também se sentia à vontade com o jazz e a música cigana.
Ele foi o primeiro artista israelense a se apresentar na URSS, em 1955, além de ser o fundador de vários festivais e um fervoroso defensor do processo de paz entre Israel e Palestina.
Com grossos cabelos brancos e penetrantes olhos azuis, uma personalidade carismática, caprichosa, feroz e narcisista, Ivry Gitlis tocava geralmente imóvel e de olhos fechados. Seu violino era um Stradivarius 1713 adquirido em 1964.
VÍDEOS: Personalidades que morreram em 2020