Itália avalia fechar escolas contra o coronavírus; estratégia já foi adotada em outros países


A Itália, país mais atingido no continente europeu, avalia fechar universidades por causa do Covid-19. Alunos usam máscaras em escola de Jacarta, na Indonésia, nesta quarta (4). O país confirmou os primeiros casos de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, na segunda-feira,
Ajeng Dinar Ulfiana/Reuters
O surto de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, fez com que países como Israel, Japão, Alemanha, Estados Unidos, França e Coreia do Sul fechassem escolas temporariamente ou suspendessem aulas na tentativa de combate à doença.
Coronavírus: veja perguntas e respostas
Últimas notícias de coronavírus de 4 de março
A Itália, o país mais atingido no continente europeu, avalia fechar escolas e universidades em todo o país por causa do novo vírus, segundo a agência Reuters. Na Itália, o governo também prepara um projeto de decreto para suspender temporariamente atividades públicas para conter o vírus.
Confira a situação por país:
Itália
O governo avalia o fechamento de escolas e universidades em todo o território italiano, segundo a agência de notícias Reuters. “Nenhuma decisão sobre o fechamento das escolas foi tomada. Solicitamos uma opinião mais aprofundada do comitê técnico-científico (que assessor o governo), e a decisão será tomada nas próximas horas”, informou a ministra da Educação Lucia Azzolina.
Além disso, um rascunho de um decreto prevê a proibição de eventos públicos em todo o país para tentar conter o novo vírus; a medida inclui o fechamento de cinemas e teatros e também pede aos italianos que evitem abraçar ou apertar as mãos para cumprimentos.
Segundo a Reuters, o texto ordena “a suspensão de eventos de qualquer natureza que envolvam a concentração de pessoas e que não permitam que uma distância de segurança de pelo menos um metro seja respeitada”.
A Itália é o país mais atingido no continente europeu, com mais de 2,2 mil casos confirmados de Covid-19.
Alemanha
Em Bonn, no estado de Renânia do Norte-Vestfália, no oeste alemão, uma escola com 185 alunos foi fechada por duas semanas depois que um supervisor foi diagnosticado com a doença no sábado (29), informou a Deutsche Welle.
No mesmo estado, uma professora contaminou 4 crianças em uma escola com 114 alunos em Heinsberg, também de acordo com a DW, mas não ficou claro se essa escola também foi fechada.
China
Em Hong Kong, as aulas estão suspensas até 20 de abril. Segundo o último boletim da Organização Mundial da Saúde (OMS), a cidade, que é um território semiautônomo chinês, teve 101 casos confirmados e 2 mortes por Covid-19.
Coreia do Sul
O país, que tem o maior número de casos da doença fora da China, suspendeu aulas em todo o território na segunda-feira (2), segundo o jornal americano “The New York Times”.
Estados Unidos
Homem usando máscaras e óculos anda de bicicleta em Kirland, Washington, perto de Seattle, na terça-feira (3). A OMS recomenda o uso de máscaras apenas para profissionais de saúde e pessoas que estão doentes.
Ted S. Warren/AP
No sábado (29), o país anunciou que uma escola primária em Portland, no Oregon, no oeste americano, ficaria fechada até esta quarta (4) depois que um funcionário foi diagnosticado com Covid-19.
Ao menos duas escolas foram fechadas em no estado de Nova York e uma outra na cidade de Seattle, segundo o jornal americano “The New York Times”. A cidade, que também fica no oeste do país, vem se tornando um dos focos da doença nos EUA: todas as 9 mortes registradas em território americano ocorreram lá.
França
Até terça (3), quase 120 escolas tinham sido fechadas na França para tentar conter o surto de Covid-19.
Israel
Todos os 1.150 alunos de uma escola de ensino médio e alunos de uma turma de outra escola, primária, foram instruídos pelo ministério da Saúde do país a ficarem em casa, sob quarentena autoimposta, segundo o jornal “Times of Israel”. A determinação veio depois que o ministério anunciou, na terça (3), que mais três israelenses foram diagnosticados com o vírus, levando o total de infectados em Israel a 15.
Japão
Homem usa equipamento de proteção para desinfetar uma escola primária em Kitahiroshima, no Japão, nesta quinta-feira (27).
Kyodo via Reuters
O Japão já havia anunciado, na semana passada, que todas as escolas do país ficariam fechadas de 2 de março até o fim das férias da primavera, em abril, para conter o surto de coronavírus.
Veja as recomendações para evitar o contágio pelo novo coronavírus
Initial plugin text