Inscrições para participar do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro estão abertas até 10 de novembro


Obras devem ser inéditas e concluídas a partir de 2019. Mostra ocorre entre 15 e 20 dezembro; filmes serão exibidos pela televisão. Cine Brasília durante a 52º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro
Mayangdi Inzaulgarat/Divulgação
Marcado para começar no dia 15 de dezembro, o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro está com as inscrições abertas, até 10 de novembro, para as Mostra Competitiva Oficial e Mostra Brasília. Nesta segunda-feira (26), a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal informou que cada filme premiado receberá uma quantia que vai de R$ 5 mil a R$ 30 mil (veja detalhes abaixo).
Faça aqui sua inscrição para a Mostra Competitiva Oficial
Faça aqui sua inscrição para Mostra Brasília
Por causa da pandemia do novo coronavírus, a 53º edição do festival não terá atividades presenciais. O público irá acompanhar os filmes pela televisão. O Canal Brasil vai apresentar os concorrentes do dia 15 até o dia 20 dezembro.
Os filmes inscritos devem ter sido concluídos a partir de 2019. As obras não podem ter participado das edições anteriores do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro.
O curador do festival é o cineasta Sílvio Tendler, que já esteve na mostra como gestor quando, em 1996, foi secretário de Cultura e Esportes do DF. Ele também participou do evento outras duas vez como artista premiado (saiba mais sobre ele abaixo).
Outra novidade, é que o evento está sendo organizado pela própria Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal.
R$ 400 mil em prêmios
Fotografia analógica de Mila Petrillo do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro
Mila Petrillo/Reprodução
De acordo com a Secretaria de Cultura, para a edição 2020 do Festival de Brasília serão selecionadas 30 obras totalizando um investimento de R$ 400 mil em prêmios. A escolha dos filmes será responsabilidade de três comissões, a serem instituídas pela pasta.
Leia aqui o edital
Mostra Competitiva Oficial
Na Mostra Competitiva Oficial serão selecionados seis filmes de longa-metragem e 12 curtas. As obras inscritas devem ser brasileiras preferencialmente inéditas no Brasil e na capital federal.
Esta mostra terá cinco membros para avaliar longas e cinco pessoas para julgar os curtas. As produções premiadas na categoria vão receber:
R$ 30 mil para filmes de longa-metragem
R$ 10 mil para filmes de curta-metragem
Mostra Brasília
A Mostra Brasília vai selecionar quatro longas e oito curtas. Os filmes devem ser brasilienses, realizados por produtores do DF e, preferencialmente, inéditos na cidade. Serão pagos os seguintes valores para cada obra premiada:
R$ 15 mil para filmes de longa
R$ 5 mil para filmes de curta
Os filmes da Mostra Brasília serão avaliados por comissão composta por três membros.
Edição de 2020 do Festival de Brasília
Troféu Candango, prêmio na mostra competitiva do Festival de cinema de Brasília, em imagem de arquivo
André Borges/Agência Brasília
A edição de 2020 foi marcada por polêmicas. Em junho, a Secretaria de Cultura e Economia Criativa chegou a anunciar o cancelamento do festival, por falta de verba. À época, o GDF argumentou que iria priorizar ações de governo no combate ao coronavírus e os efeitos econômicos da pandemia.
Três dias após o anúncio, no entanto, o secretário Bartolomeu Rodrigues voltou atrás e disse que o evento estava mantido. Segundo o secretário, o governador Ibaneis Rocha (MDB) havia garantido os recursos necessários.
Já no começo de outubro, a pasta cancelou o edital para selecionar uma Organização da Sociedade Civil (OSC) para a organização da 53ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro (FBCB).
A secretaria já tinha selecionado uma OSC como responsável pelo evento. No entanto, a medida causou críticas da classe artística, que questionou a decisão. A partir daí, a própria secretaria assumiu a organização do festival.
Silvio Tendler é curador do festival 2020
Silvio Tendler em imagem de arquivo
GloboNews
O curador do Festival de Cinema de Brasília deste ano é Sílvio Tendler. Considerado um dos mais importantes documentaristas da América Latina, ele produziu e dirigiu cerca de 80 filmes entre curtas, médias e longas-metragens em formato documental, além séries.
Documentário brasileiro sobre globalização é destaque em festival uruguaio
Documentário ‘Utopia e barbárie’ revê as revoluções da geração de 68
Cinema brasileiro retratou ditadura desde o golpe; conheça dez filmes
“No Festival de Brasília, Silvio Tendler foi consagrado com Glauber, o Filme – Labirinto do Brasil”, que recebeu o prêmio de melhor filme na categoria júri popular em 2003. Também teve espaço no evento com “Encontro com Milton Santos (ou o Mundo Global Visto do Lado de Cá)”, que ganhou o prêmio do júri popular em 2006.
História do Festival de Brasília
Artistas se reúnem próximo à piscina do Hotel Nacional de Brasília em uma das edições do tradicional Festival de Cinema
Secretaria de Comunicação Social/Arquivo Público do DF/Reprodução
O festival nasceu, em 1965, como Semana do Cinema Brasileiro. A iniciativa foi do historiador e crítico Paulo Emílio Sales Gomes, que estava à frente do primeiro curso superior de cinema da Universidade de Brasília (UnB).
Em 1967, o evento adotou o nome Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. Nos anos de 1972 a 1974, o festival não foi realizado, no auge repressivo do regime militar, que impôs censura ao evento.
Em 2007, o Festival recebeu o registro de Patrimônio lmaterial pelo Governo do Distrito Federal.
Programe-se
Equipe do curta-metragem “Escola sem sentido” faz protesto silencioso antes da exibição do filme na Mostra Brasília do 52º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro
Mayangdi Inzaulgarat/Divulgação
Inscrições para o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro
Período de inscrição: até dia 10 de novembro, às 18h
Categorias do Festival: Mostra Competitiva Oficial e Mostra Brasília
Podem ser inscritas: filmes inéditos concluídos a partir de 2019
Sílvio Tendler conta como nasceu sua paixão pelo cinema
*Sob supervisão de Maria Helena Martinho
Leia outras notícias sobre a região no G1 DF.