Inclusão de PCD: como as empresas devem agir e como encontrar vagas de trabalho


SP1Trabalho: Vagas para pessoas com deficiência
Ultimamente temos falado muito em diversidade, tratando questões importantes como equiparação salarial para mulheres, ambientes de respeito para a comunidade LGBT+, e isso é mesmo essencial para o desenvolvimento dos ambientes corporativos, inclusive colaborando com a melhora dos resultados.
No entanto, pensando em um público que representa quase 24% da população brasileira – as pessoas com deficiência – muitas empresas ainda não seguem a Lei das Cotas; e entre as que seguem, várias acabam infringindo regras básicas da inclusão social.
Conheça as regras:
Toda empresa com 100 ou mais funcionários deve ter entre 2% e 5% do seu quadro de funcionários composto por pessoas com deficiência:
100 funcionários = 2% das vagas
201 a 500 funcionários = 3% das vagas
501 a 1000 funcionários = 4% das vagas
Acima de 1000 funcionários = 5% das vagas
Em concursos públicos, as vagas para pessoas com deficiência correspondem a 5% das vagas.
Em empresas com matriz e filial, o percentual de vagas para PCD deve ser relacionado à soma dos colaboradores totais das unidades.
Se o resultado do cálculo do percentual para as vagas for um número quebrado, o valor deve ser arredondado para cima. Ex.: Numa empresa com 254 funcionários que deve ter 3% do quadro formado por PCD, a conta dá 7,64 pessoas e deve ser arredondado para cima, ou seja, 8 pessoas com deficiência precisam estar contratadas.
As pessoas com deficiência não podem trabalhar isoladas do restante da empresa. O objetivo é realmente a inclusão social, portanto devem estar distribuídas nas áreas como todos os outros funcionários.
Onde procurar as vagas:
Conheça algumas vagas aqui no G1 mesmo:
Embraer tem processo seletivo com 30 vagas para PCD
Ou pelo site: http://www.deficienteonline.com.br/
O primeiro grande desafio é conseguir o trabalho. Depois de conseguir, ainda existe uma quantidade enorme de preconceitos a serem vencidos dentro das empresas. As pessoas com deficiência devem ser incluídas como qualquer outra pessoa no dia a dia de trabalho e podem e devem ser desafiadas com os projetos do cotidiano de suas áreas.
Lembre-se de se preparar para a entrevista:
Pesquise sobre a empresa antes de ir para a entrevista. Vale falar com pessoas que trabalham na empresa, caso você conheça alguém.
Prepare a história que você vai contar sobre você, seus sonhos e expectativas para a carreira. Faça isso um ou dois dias antes da entrevista. Você pode escrever ou desenhar para estruturar as ideias, mas lembre-se que na hora não vai ter cola, você vai dizer naturalmente aquilo que é verdade sobre seus desejos.
Tenha seus pontos fortes muito claros e também aqueles pontos que você sabe que precisam ser desenvolvidos. Falar somente do que você sabe fazer bem e ignorar os pontos a melhorar são um sinal de que talvez você não se conheça muito bem. Todos têm alguma coisa para melhorar na vida profissional. É importante que você fale deles, caso seja questionado.
Separe cerca de 3 contatos para fornecer como referência profissional. Pense em pessoas com quem você já trabalhou e que podem endossar o seu bom trabalho. É importante que você peça a essas pessoas a permissão para passar o contato delas para o recrutador.
No dia da entrevista, chegue pelo menos 15 minutos antes. Chegar atrasado passa uma informação muito negative aos recrutadores, além de ser falta de respeito.
Seja objetivo e escute com atenção. Nada de ficar falando muito, responda com clareza, se precisar tome 1 minuto para refletir sobre a resposta, mas deixe as questões esclarecidas.
Seja você e confie no que você conquistou até aqui. A impressão que o recrutador terá de você estará diretamente ligada àqueles minutos da entrevista, então capriche na postura e na confiança.

Arte/G1