Incêndio florestal na Califórnia atravessa para Nevada nos EUA


Por outro lado, a melhora no clima tem ajudado no combate ao maior incêndio do país, no Oregon. Avião lança retardante de fogo para combater incêndio no sul do Oregon, nos Estados Unidos, em 17 de julho de 2021
Comando de Incidente de Fogo Bootleg via AP
Um incêndio florestal no norte da Califórnia atingiu o estado vizinho de Nevada, causando novas evacuações na costa leste dos Estados Unidos. Por outro lado, a melhora no clima tem ajudado no combate ao maior incêndio do país, no Oregon.
O incêndio na Califórnia começou em 4 de julho em Tamarack, ao sul do Lago Tahoe, e já queimou mais de 176 km² (veja no mapa abaixo).
Mais de 1,2 mil bombeiros lutam contra o fogo no condado de Alpine, na divisa entre os dois estados, e as chamas já destruíram pelo menos 10 prédios, forçaram a evacuação de várias comunidades e fecharam partes da rodovia 395.
Autoridades emitiram um pedido de evacuação voluntária em partes do Condado de Douglas, em Nevada, e um centro foi instalado em Gardnerville para receber a população.
Morgana-Le-Fae Veatch diz que a situação tem sido “muito estressante” para seus pais, que perderam a casa em um incêndio na região em 1987. “Isso tem sido muito, muito estressante para eles”.
Maior incêndio do país
Filhote de urso se agarra a árvore no sul do Oregon, em 18 de julho de 2021, em meio ao maior incêndio florestal dos Estados Unidos
Bryan Daniels/Bootleg Fire Incident Command via AP
No Oregon, autoridades proibiram na quarta-feira (21) todas as fogueiras em terras e acampamentos estaduais a leste da rodovia interestadual 5, que é considerada a linha divisória entre a parte úmida no oeste do estado e a seca no leste.
O estado enfrenta o maior incêndio florestal do país, que já atingiu uma área de 1,6 mil km² (equivalente ao tamanho da cidade de São Paulo).
As chamas foram desencadeadas por um raio e devastou a parte sul do Oregon, que é pouco povoado, e e se expandiram a uma velocidade de até 6 km por dia, impulsionadas por ventos fortes e um clima extremamente seco que transformou árvores e vegetação rasteira em uma “caixa de fogo”.
Os bombeiros tiveram que se retirar do local por 10 dias consecutivos, enquanto bolas de fogo saltavam de uma árvore para outra e as brasas iniciavam novas chamas. Nuvens monstruosas de fumaça e cinzas subiram a até 10 km no céu e se tornaram visíveis por mais de 161 km.
Imagem de satélite mostra a fumaça dos incêndios florestais no Oregon, em Idaho e no norte da Califórnia em 18 de julho de 2021. Condições extremamente secas e ondas de calor associadas às mudanças climáticas tornaram os incêndios florestais mais difíceis de combater nos Estados Unidos.
Maxar Technologies via AP
O incêndio está sendo combatido por mais de 2,2 mil pessoas e está cerca de um terço contido. Mas autoridades dizem que os ventos e as temperaturas menores agora estão permitindo que as equipes possam trabalhar.
Ao menos 2 mil casas foram evacuadas durante o incêndio e outras 5 mil estavam em áreas ameaçadas. Cerca de 70 casas e mais de 100 edifícios foram queimados, mas ninguém morreu.
As condições extremamente secas e as recentes ondas de calor associadas às mudanças climáticas tornaram os incêndios florestais mais difíceis de combater nos EUA.
VEJA TAMBÉM:
Autoridades alertam para aumento de mortes ligadas às altas temperaturas no Canadá
Fortes chuvas na Europa deixam mais de 190 mortos na Alemanha e na Bélgica
Sobe para 33 o nº de mortos em chuvas na China; 12 morreram em metrô inundado
Mudanças climáticas: Veja em 7 pontos como será a vida na Terra nos próximos 30 anos, segundo a ONU
VÍDEOS: as últimas notícias internacionais