Illy relança canção ‘O que me cabe’ com Adriana Calcanhotto em versão acústica


♪ Música-titulo do ainda inédito terceiro álbum de Illy, O que me cabe foi apresentada pela cantora em single editado em 15 de julho com gravação feita com arranjo e produção musical de Guilherme Lírio.
A inédita versão que chega ao mundo digital na quinta-feira, 5 de agosto, é acústica – como já explicita a capa do single, criada por Fernanda Queiroz com arte que alude à capa do terceiro álbum de Adriana Calcanhotto, A fábrica do poema (1994).
A alusão é certeira porque a versão acústica de O que me cabe junta a voz de Illy ao canto da compositora da canção, a própria Calcanhotto. Desta vez, a produção musical da faixa foi confiada ao violonista Cezar Mendes e ao ritmista Marcelo Costa, músicos presentes nessa versão também formatada com o toque do piano de Dadi Carvalho e o baixo acústico de Gabriel Loddo.
Capa do single ‘O que me cabe acústico’, de Illy & Adriana Calcanhotto
Arte de Fernanda Queiroz
“Quando Adriana mandou a música tocada somente no violão, me apaixonei de primeira. Decidi que O que me cabe seria o nome do disco e que iria gravar a canção com ares de arrocha futurista para ter unidade com o resto das faixas solares do álbum. Mesmo encantada pelo arranjo feito pelo Guilherme Lírio, aquela gravação intimista com a voz de Adriana não saía da minha mente. Por isso decidi convidá-la para essa espécie de faixa-bônus do álbum”, contextualiza Illy.
O que me cabe é canção composta por Adriana Calcanhotto em Portugal a partir de encontro da artista com o músico Gabriel Muzak em estúdio da cidade de Lisboa. “Surpresa em encontrá-lo, indaguei sobre o que Gabriel fazia ali e ele me respondeu: ‘vim pra ver’. Achei aquela frase maravilhosa. Voltei para o hotel e passei os três dias seguintes criando uma canção em torno disso”, lembra Calcanhotto.