Honda diz que acidente em carro equipado com airbags defeituosos da Takata matou uma pessoa no Brasil


É o primeiro caso de morte registrado no país. Até então, fabricante tinha conhecimento de 28 ocorrências, com 11 feridos, em decorrência da falha nas bolsas. Airbag da Takata pode lançar pedaços de metal contra os passageiros
REUTERS/Joe Skipper
A Honda anunciou na noite desta sexta-feira (14) que teve conhecimento de um caso de acidente com morte envolvendo um veículo da marca equipado com os airbags defeituosos da Takata.
O acidente, segundo a Honda, ocorreu no Rio de Janeiro, envolvendo um Civic 2008. A perícia, ainda de acordo com a empresa, “determinou que houve a ruptura anormal do insuflador do airbag Takata, causando ferimentos que levaram à morte do motorista.”
Este é o primeiro caso de morte envolvendo veículos equipado com os chamados “airbags mortais” no Brasil. Em setembro de 2018, a Honda informou que havia 28 ocorrências de rupturas das bolsas no país, com 11 feridos.
A Honda ainda disse que “já comunicou as autoridades competentes e seguirá colaborando disponibilizando as informações sobre a ocorrência.”
Honda é a que mais sofre com problema em airbags no mundo inteiro
Yoshikazu Tsuno / AFP
Outras marcas
Além da Honda, outras 14 marcas convocaram recalls para trocar o equipamento defeituoso no país (veja todos os chamados).
Esses airbags da Takata estão ligados a 22 mortes nos Estados Unidos, na Austrália e na Malásia, e provocaram o maior recall da história. O caso ficou conhecido como o dos “airbags mortais”.
Reparo é gratuito
Em nota, a fabricante ainda informou que “continua a convocar proprietários de veículos afetados pelos recalls do insuflador de airbags Takata e pede para que levem, com urgência, seus veículos a uma concessionária autorizada para o reparo.”
Os proprietários podem checar no link www.honda.com.br/recall se seus veículos precisam de reparo. O agendamento pode ser feito pelo mesmo site ou pela Central de Atendimento: 0800-701-3432.”
Qual é a falha
A Takata revelou o defeito em 2013. Desde então, somente no Brasil, mais de 2 milhões de carros, de 15 diferentes marcas, foram chamados para a troca da peça defeituosa desses airbags, chamada insuflador.
O insuflador é uma espécie de caixa metálica que abriga o gás que faz a bolsa de ar inflar. O defeito nessa peça causa uma abertura forte demais quando o airbag é acionado.
Além disso, a falha gera trincas no insuflador e, com a explosão do airbag, ele se estilhaça, atirando pedaços de metal contra os ocupantes, causando ferimentos que podem ser fatais e já foram comparados a facadas.