Homem ferido em show processa Travis Scott e empresa que organizou o evento


Oito pessoas morreram durante o show que aconteceu na semana passada na cidade de Houston, no Texas. Oito pessoas morreram e 300 ficaram feridas em show de Travis Scott em Houston (EUA)
Uma pessoa que ficou ferida no show do rapper Travis Scott no qual oito pessoas morreram na cidade de Houston, nos Estados Unidos, entrou com um processo contra o cantor e contra os organizadores da apresentação.
O homem que entrou com o processo, Manuel Souza, pede US$ 1 milhão (R$ 5,54 milhões, na cotação atual). Ele afirma que sofreu ferimentos graves ao ser jogado pela multidão no chão e ter sido pisoteado.
Leia também
Oito pessoas morrem e mais de 300 ficam feridas durante tumulto em festival de música nos EUA
Travis Scott: o que se sabe sobre tumulto que matou 8 em show do rapper no Texas
Travis Scott festival Astroworld, no NRG Park, em Houston
Amy Harris / Invision / via AP Photo
Pelo menos oito pessoas morreram em um tumulto na noite de abertura do evento musical em Houston, Texas. As vítimas tinham entre 14 e 27 anos.
Muitas pessoas ficaram prensadas entre a plateia e o palco. Cerca de 300 pessoas foram tratadas por ferimentos como cortes e hematomas — e há relatos de que não havia socorristas suficientes para atender a todos os feridos.
O incidente começou por volta das 21h15 de sexta-feira (no horário local). Houve pânico quando a multidão começou a se dirigir para a frente do palco durante a apresentação do rapper Travis Scott.
Muito antes de o show começar, centenas de fãs invadiram os portões de acesso ao palco, ou avançaram sobre áreas reservadas, mas a programação continuou.
Travis Scott chegou a parar a música algumas vezes, pediu para seguranças ajudarem algumas pessoas, mas o show, que teve mais de 70 minutos, continuou até o final.
No sábado (7), o cantor publicou em uma rede social que está devastado com o que aconteceu na noite passada, e comprometido a trabalhar com a comunidade de Houston no suporte às famílias. Oito pessoas morreram no momento da confusão.
Veja os vídeos mais assistidos do g1