Henrique Annes, às do violão de Pernambuco, morre aos 75 anos


♪ OBITUÁRIO – Ás do violão que marcou a cena musical de Pernambuco desde os anos 1960, o compositor e músico recifense Henrique José Pedrosa Annes (25 de julho de 1946 – 20 de setembro de 2021) poderia ter se tornado flautista se tivesse seguido a primeira inclinação musical, manifestada ainda na infância, por volta dos oito anos, quando ficou fascinado ao ver o tio tocar o instrumento.
Só que, autodidata, Annes acabou exercitando o talento e a vocação precoces no toque do cavaquinho. Do cavaquinho, passou a manusear as cordas do violão, instrumento ao qual dedicou à vida profissional.
Foi como consagrado violonista que Henrique Annes – como era o artista conhecido no meio musical – morreu aos 75 anos, na noite de segunda-feira, 20 de setembro, ao sofrer parada cardíaca em hospital do Recife (PE), cidade natal deste instrumentista que transitou na tênue fronteira entre as músicas erudita e popular.
Formado no Conservatório Estadual de Música, no qual atuou como professor ao longo de 37 anos, Annes se profissionalizou em 1964, aos 18 anos, tendo trabalhado por anos com o violonista conhecido como Canhoto da Paraíba (1926 – 2008).
Integrante da Orquestra Armorial e da Orquestra de Cordas Dedilhadas, o violonista recifense fundou em 1985 a Oficina de Cordas no Estado de Pernambuco.
Embora a atuação de Henrique Annes tenha sido concentrada no estado de Pernambuco, como atestou o título do álbum solo Violão pernambucano (2002), o músico também fez turnês pelos Estados Unidos e, no círculo da música instrumental do Brasil, sempre foi reconhecido como um dos grandes mestres do violão.