Harley-Davidson paralisa produção de sua primeira moto elétrica


LiveWire chegou às concessionárias americanas há apenas um mês. Montadora encontrou “condição fora dos padrões” nas motocicletas, diz agência. Harley-Davidson LiveWire é primeira elétrica da história da marca
Rafael Miotto/G1
A Harley-Davidson disse nesta segunda-feira (14), nos Estados Unidos, que paralisou a produção e as entregas de sua primeira motocicleta elétrica, a LiveWire. De acordo com a agência Reuters, a medida foi tomada após a descoberta de uma falha nas verificações finais de qualidade.
A fabricante de motocicletas informou ter encontrado uma “condição fora dos padrões” na LiveWire, que começou a ser enviada aos revendedores americanos no final do mês passado, mas o problema específico não foi revelado. O modelo custa US$ 29.799, valor equivalente a R$ 122 mil.
VÍDEO: saiba como anda a Harley elétrica
Como procedimento imediato, a Harley está realizando testes e análises adicionais nas motos. Embora a montadora tenha dito que seus testes estão progredindo “bem”, ela não ofereceu um cronograma para quando a produção será retomada.
Ainda não há uma data exata para a chegada da LiveWire ao Brasil, mas a expectativa é que o modelo desembarque no país em 2020. O G1 entrou em contato com a Harley-Davidson do Brasil para um posicionamento da marca, que não se pronunciou até o momento.
Harley-Davidson LiveWire sendo recarregada
Divulgação
Aposta nas elétricas
A Harley-Davidson está apostando em motocicletas elétricas para atrair a próxima geração de motociclistas mais jovens para reverter as vendas em declínio nos EUA. Além da LiveWire, que é o modelo top de linha, a montadora terá todo um portfólio de veículos elétricos, que vão de scooters a bicicletas.
Quer saber como anda a LiveWire? Assista ao vídeo:
Harley-Davidson LiveWire elétrica: G1 avalia o modelo