Grupo de trabalho discute protocolos de retorno às aulas presenciais em Juiz de Fora


Atividades nas instituições privadas e públicas estão suspensas desde o ano passado por causa da pandemia de Covid-19. Na reunião desta quinta, UFJF apresentou protocolos de biossegurança para retomada. Sala de aula vazia – imagem ilustrativa
Divulgação
O Grupo de Trabalho (GT), organizado pela Prefeitura de Juiz de Fora se reuniu nesta quinta-feira (6) para realizar encaminhamentos relativos à situação da educação municipal. As atividades nos colégios particulares e públicos estão suspensas desde o ano passado por causa da pandemia de Covid-19 e o ano letivo de 2021 é realizado, até o momento, de forma remota.
Atualmente, a cidade está na faixa vermelha do programa municipal “Juiz de Fora pela Vida” que não libera o retorno presencial dos estudantes. Somente na faixa verde a volta é autorizada.
O professor Cassiano Amorim, representante da Universidade Federal de Juiz de Fora na reunião apresentou os protocolos de biossegurança elaborados pela Instituição para possível retorno das aulas presenciais. Veja abaixo quais são os protocolos apresentados.
Na próxima reunião, o Sindicato dos Professores de Juiz de Fora (Sinpro-JF) apresentará a perspectiva dos professores sobre o retorno às aulas presenciais.
De acordo com a Prefeitura, um protocolo sanitário foi elaborado pelas secretarias municipais de Educação e Saúde e em breve este documento será publicado.
No último dia 22 de abril, a Câmara de Educação Infantil do Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino da Região Sudeste de MG (Sinepe/Sudeste) fez uma apresentação sobre o protocolo de retorno às aulas presenciais elaborado pela entidade para escolas particulares no quesito educação infantil, em continuidade à apresentação da última reunião. A diretora educacional da Superintendência Regional de Ensino de Juiz de Fora, Eliane Gomes, falou sobre o protocolo desenvolvido pelo Governo de Minas Gerais para as escolas da rede estadual.
Conselho Municipal de Educação
Participou da reunião desta quinta, pela primeira vez, o Conselho Municipal de Educação, que foi empossado na última semana. O conselho é compostos por pais de alunos; menores da rede municipal e estadual de ensino; alunos emancipados das redes de ensino municipal e estadual.
O objetivo é definir, junto à secretaria de educação um protocolo pedagógico para retorno híbrido do ensino, com aulas presenciais e remotas.
Protocolos apresentados pela UFJF
Os protocolos de biossegurança apresentados pela UFJF durante a reunião do Grupo de Trabalho foram elaborados elaborados pela Comissão de Infraestrutura e Saúde, e tem vigência enquanto durar a pandemia de Covid-19, provocada pelo novo coronavírus.
1. Uso de máscaras e higienização
O documento obriga o usos de máscaras faciais, incluindo as de tecido, para todos que circulam e permanecem na UFJF: estudantes, servidores, trabalhadores terceirizados, prestadores de serviços e visitantes. Recomendações quanto a higienização das mãos com água e sabão ou álcool gel a 70%, o uso de máscaras faciais e as regras de distanciamento são mencionadas.
A resolução prevê que os setores administrativos da UFJF deverão disponibilizar álcool em gel a 70% para os usuários, na área de atendimento, para uso individual e em cada mesa de atendimento. Todos os trabalhadores deverão ser capacitados quanto às condutas com o usuário, mantendo a etiqueta social sem toques físicos. Após o atendimento do usuário, o trabalhador deve proceder com a descontaminação da bancada, lavar e higienizar as mãos. Há ainda a recomendação de revestir equipamentos como teclados, controles remotos e telefones com plástico filme e de higienizar esses itens com álcool líquido a 70% antes e após o uso. A resolução impede o compartilhamento de canetas, telefone celular, outros objetos e utensílios.
2. Distanciamento Social
Distância mínima de um metro e meio entre as pessoas, mas caso haja a possibilidade de ampliar o distanciamento, ele é recomendado. Para garantir o distanciamento, o documento recomenda que sejam feitas marcações de distanciamento em filas de espera. A medida de distanciamento mínimo deverá ser respeitada nas salas de aula, refeitórios, bibliotecas, infocentros, postos de trabalho e em todos os espaços de atividades acadêmicas e administrativas de uso compartilhado da UFJF.
3. Novos postos de trabalho
Planejar novos postos de trabalho e ajustar os já existentes, observando o distanciamento mínimo recomendado. Outras medidas como ventilação dos espaços, uso de EPIs e rodízio de trabalhadores são igualmente indicadas.
4. Orientações para os trabalhadores da Instituição
As unidades administrativas devem organizar o fluxo de manutenção e outros serviços de terceiros para evitar aglomeração nos ambientes. Também devem manter, preferencialmente, as portas abertas, evitando que puxadores ou maçanetas se convertam em fontes de infecção.
Não será permitido guardar ou consumir alimentos e bebidas nos postos de trabalho. Cada trabalhador deverá trazer a sua própria garrafa de água e evitar compartilhamento de documentos físicos, dando preferência aos digitalizados.
Em postos de trabalhos com rodízio de trabalhadores, é preciso proceder com a limpeza e desinfecção a cada revezamento.
5. Áreas de grande circulação
A resolução prevê a necessidade de dispensadores com álcool em gel a 70% nos principais pontos de assistência e circulação, como, por exemplo, próximo às entradas dos sanitários, das recepções e secretarias das Unidades, das salas de aula e setores administrativos com atendimento ao público, além do acesso fácil às pias, sabonete líquido, toalhas descartáveis e lixeiras com tampa acionada por pedal.
Ambientes coletivos e de grande circulação de pessoas devem ser limpos e desinfetados, pelo menos, uma vez por turno. Salas de aula e auditórios precisam ser limpos a cada troca de turma.
Nos bebedouros, cada unidade deve promover a devida adaptação de modo a impedir que a pessoa beba água direto no equipamento, sendo orientado o jato específico para uso do copo ou garrafa pessoal. Também é preciso orientar a higienização das mãos antes e depois do uso.
Nos sanitários, as medidas também ficam mais rigorosas, com limpeza específica no início, no meio e ao final de cada turno. O trabalhador da higienização deverá utilizar equipamentos como máscara cirúrgica, luva de borracha, avental, calça comprida, sapato fechado.
De acordo com a Instituição, um monitoramento após a implantação dos protocolos será feito. Caso alguém apresente sintomas como tosse, febre, coriza, dor de garganta, dificuldade para respirar, fadiga, tremores e calafrios, dor muscular, dor de cabeça, perda recente do olfato ou paladar, a pessoa deve comunicar imediatamente a entidade.
Além disso, a UFJF deve afastar imediatamente das atividades presenciais, por 14 dias, casos suspeitos e confirmados da Covid-19, além de indivíduos assintomáticos que tiveram contato com o caso confirmado da doença, entre dois dias antes e 14 dias após o início dos sinais e sintomas ou da confirmação laboratorial.
No documento, ainda é possível acessar o Protocolo de biossegurança para retorno das atividades nas Instituições Federais de Ensino, elaborado pela Secretaria de Educação Superior do MEC; e as Diretrizes para elaboração de planos de contingência para o retorno às atividades presenciais nas instituições da rede federal de educação profissional, científica e tecnológica, proposto pelo Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif).
A retomada das atividades presenciais da Universidade só ocorrerá sob recomendação do Comitê de Monitoramento e Orientação de Condutas sobre coronavírus da UFJF, através da observação e da avaliação periódica das cidades de Juiz de Fora e de Governador Valadares; do cenário epidemiológico; da capacidade de resposta da rede de atenção à saúde; dos aspectos socioeconômicos e culturais dos territórios; e das orientações emitidas pelas autoridades locais e órgãos de saúde. Segundo a Resolução, o retorno deve ocorrer de forma segura, gradativa, planejada, regionalizada, monitorada e dinâmica, de forma a preservar a saúde e a vida das pessoas. A Resolução considera que as medidas de segurança da comunidade acadêmica devem ser iniciadas no momento da saída de casa até o seu retorno, incluindo o deslocamento e a permanência na UFJF.
Grupo de Trabalho
O GT se reúne quinzenalmente desde março e tem a representatividade de diversos atores da sociedade.
Participam do grupo de trabalho as secretarias de Educação, Recursos Humanos e Saúde; Sindicato dos Professores de Juiz de Fora (Sinpro); a Promotoria de Justiça de Defesa da Educação e dos Direitos da Criança e do Adolescente; a Coordenadoria Regional das Promotorias de Justiça de Defesa da Educação e dos Direitos das Crianças e dos Adolescentes da Zona da Mata; o Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino da Região Sudeste de Minas Gerais (Sinepe); a Câmara Municipal de Juiz de Fora; o Conselho Municipal de Educação (CME); a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes); a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF); e Associação de Pais.
VÍDEOS: veja tudo sobre a Zona da Mata e Campo das Vertentes