Grafites de Banksy são removidos do metrô de Londres


Artista deixou recado a favor do uso de máscaras nos vagões e divulgou vídeo com intervenção na terça (14). Empresa afirmou que ação violava ‘rigorosa política antigrafite’. Grafites de Banksy no metrô de Londres dão recado sobre importância do uso de máscaras na pandemia
Reprodução/Instagram/Banksy
A companhia que administra o metrô de Londres informou nesta quarta-feira (15) que apagou os grafites que Banksy deixou nos vagões encorajando as pessoas a usarem máscaras durante a pandemia do coronavírus.
Segundo uma porta-voz da empresa Transport for London (TfL), a ação violava a “rigorosa política antigrafite” da empresa. Os grafites foram apagados horas depois da intervenção de Banksy.
Apesar disso, a empresa aprecia a iniciativa contra a crise do coronavírus e gostaria de “oferecer a Banksy a oportunidade de fazer uma nova versão de sua mensagem para nossos usuários em uma locação adequada”.
No vídeo divulgado nesta terça (14), Banksy aparece usando máscara e equipamento de proteção como se fosse fazer a limpeza do espaço. A intervenção foi chamada de “If you don’t mask – you don’t get”.
Initial plugin text
Os ratos são elementos comuns na obra do artista e aparecem dentro do contexto da pandemia nos grafites. Um aterrissa usando uma máscara como paraquedas e outro espirra sem máscara, deixando um borrão de tinta na janela ao lado.
No final do vídeo, aparece a mensagem “I get lockdown, but I get up again” com a música Tubthumping da banda inglesa Chumbawamba ao fundo.
Durante a quarentena, o artista chegou a fazer intervenções no próprio banheiro de casa. “Minha esposa odeia quando eu trabalho de casa”, escreveu o artista britânico em post no Instagram em abril.
Banksy aparece em vídeo durante intervenção no metrô de Londres
Reprodução/Instagram/Banksy
Semana pop explica como o Black Lives Matter está mudando a cultura pop