Google e Facebook rejeitam acusações sobre anúncios políticos

Google e Facebook não aceitam acusações sobre anúncios políticos feitos pela Rússia

Google e Facebook não aceitam acusações sobre anúncios políticos feitos pela Rússia

REUTERS/Aly Song

O Google disse nesta segunda-feira (09) que apoiou anúncios políticos responsáveis que cumpriram a legislação local, depois que a Rússia acusou a companhia norte-americana de circular tal propaganda durante as eleições locais no país no fim de semana.

A gigante da tecnologia não afirmou nem negou em comunicado que havia divulgado tais anúncios.

O órgão de vigilância de comunicações do Estado disse que Google e Facebook haviam divulgado anúncios políticos durante as eleições, o que, segundo ele, pode ser visto como interferência.

“Apoiamos a publicidade política responsável e esperamos que ela cumpra as exigências legislativas locais, incluindo as leis sobre eleições e direitos de voto e o ‘silêncio eleitoral’ obrigatório para qualquer área geográfica em que essa publicidade seja orientada”, afirmou o Google em comunicado.

O Facebook disse nesta segunda-feira (09) que os anunciantes, e não a própria empresa, são responsáveis pelo cumprimento das leis eleitorais locais.

Eleições locais e regionais foram realizadas no domingo em várias regiões da Rússia. Em Moscou, o partido governista Rússia Unida, que apoia o presidente Vladimir Putin, perdeu vários assentos no parlamento da cidade, informou a agência de notícias RIA nesta segunda-feira.

(Por Nadezhda Tsydenova e Maxim Rodionov)