Gloria Groove e a volta ao pop: como cantora assumiu alterego Lady Leste para exaltar raízes


Ao G1, cantora paulistana comenta single ‘Bonequinha’ e explica nova era da carreira: ‘É uma homenagem a todas as as mulheres que provêm da Zona Leste’. Veja entrevista em VÍDEO. Gloria Groove comenta volta ao pop com novo álbum
O começo foi no rap, mas Gloria Groove já transitou por outros ritmos. Em 2018, a cantora deu uma passeada pelo pop, com “Bumbum de ouro”.
Em 2020, ela realizou o sonho de gravar um álbum R&B (“Affair”). Agora, Gloria retorna à fase pop e inicia a “era Lady Leste”, como a cantora define. “É, é verdade, estou voltando. Não só voltei pra pista como voltei pro pop também com uma nova era.”
“Lady Leste é o nome desse novo álbum que vem aí e também é o nome de uma nova era. Na verdade, é esse alterego, que vai ter várias facetas. Logo, vou explorar vários estilos musicais.”
Gloria se diz “produto da repercussão” e do sucesso das divas dos anos 2010. “Sou muito filha de Beyoncé, Rihanna, Nicki Minaj, Lady Gaga. Aqui no Brasil, as mulheres em quem me vi muito, sempre foi a mulherada do pop, tipo Rouge, SNZ, amava SNZ.”
“Mais tarde, quando descobri o rap, foi bem na fase da Flora Matos, da Karol Conká, com quem eu vim trabalhar depois. Então eu sempre curti muito o som feito pelas minas. E se era uma mulher que tinha muita atitude, então, aí que me capturava de vez.”
Single de estreia
Gloria Groove
Rodolpho Magalhães/Divulgação
Para estrear a nova fase, Gloria lançou a música “Bonequinha”. Ela diz que o single tem “uma fusão de estilos muito inusitada com o funk, o rock, e isso acaba resultando num pop muito interessante quando vem a figura drag e tudo mais”.
Para parte do vocal, Gloria convidou Mirella, de 12 anos, irmã da rapper Drik Barbosa. Gloria e Drik já haviam trabalhado juntas em “Quem tem joga”, com participação de Karol Conká. Mirella também fez uma participação no refrão do hit.
“Foi inspirado e lembrando desse acontecimento com a Mirella, que a gente pensou em trazê-la, porque eu e os meninos [os produtores Pablo Bispo e Ruxell] já queríamos experimentar nessa parte da estrutura musical uma voz diferente, uma voz infantil.”
“Até chegamos a testar uma voz distorcida em uma das pré-mix, mas sabe quando ainda não era isso. Foi aí que veio a sacada da Mirella.”
Gloria Groove
Rodolpho Magalhães/Divulgação
A canção veio acompanhada de um videoclipe cheio de referências da adolescência de Gloria na Vila Formosa, bairro da Zona Leste de São Paulo, onde ela nasceu e mora até hoje. A região, aliás, é o ponto de partida para o alterego de Glória na fase atual.
“O alterego é inspirado na minha relação de amor com o lugar onde nasci. Também é uma homenagem a todas as ‘ladies leste’ que conheço, todas as mulheres que provêm da Zona Leste.”
“Essas mulheres são minha família, mulheres que trabalham comigo, na minha equipe. Então também é uma forma de fazer uma carta de amor a essas pessoas através desse trabalho com esse alter ego.”
“Ao mesmo tempo que tem esse ‘q’ de fenômeno internacional, Lady Leste, é uma coisa que traz pra si, traz para casa, traz para as origens, traz para as raízes, que é o que pretendo mostrar ainda mais nesse trabalho.”
Gloria do rap e do R&B morreu?
Gloria Groove
Rodolpho Magalhães/Divulgação
Apesar da investida no pop, a cantora afirma que as antigas Glorias nunca desaparecerão. “Eu já percebi que nenhuma Gloria morre pra dar lugar a outra. Elas ficam coexistindo mesmo. É essa coisa esquizofrênica mesmo”, diz ela, brincando.
“Mas jamais vou cessar os trabalhos no R&B, no rap, inclusive tenho certeza que essas referências, essas vertentes, vão acabar achando seu caminho pra dentro de Lady Leste, porque Lady Leste é isso tudo. É tudo isso e muito mais.”
E para o futuro, também não há limites para a artista, que já sonha com trabalhos envolvendo outros ritmos, como o pagode e o jazz.
“Justamente por isso que me encontrei sendo uma artista pop, porque eu sinto que assim eu não preciso definir nem limitar muita coisa. Eu fico livre pra sair da caixa, a bonequinha fica livre pra ficar fora da caixa o tempo todo.”
Produção na pandemia
Gloria Groove
Rodolpho Magalhães/Divulgação
Enquanto artistas do sertanejo deixaram de gravar e lançar projetos musicais, Gloria manteve a engrenagem totalmente ativa ao longo da pandemia. Antes de “Lady Leste”, a cantora gravou e lançou o EP “Affair”.
A produção ativa ajudou a cantora a lidar melhor com esse período. “Olha, não vou mentir. Acho que de verdade, na pandemia, a música me salvou, está me salvando até agora. Porque é o melhor jeito de ocupar meu tempo.”
“Numa pandemia, a gente está com nossos pensamentos e projetando tudo o que a gente ainda quer fazer um dia, sabe. Eu acho que muito de Lady Leste está saindo disso. Do que eu estou projetando como o sonho da diversão que ainda teremos juntos”, analisa a cantora.
Ela conta ainda que o projeto anterior, o “Affair”, nasceu da necessidade de fazer algo que fizesse sentido naquele momento.
“Era naquele momento que eu estava sentindo que era importante jogar aquelas músicas pro mundo. Elas falam muito de amor e estava todo mundo muito sensível. Principalmente no começo disso tudo.”
“Então acho que tem tudo a ver. Assim como tem tudo a ver querer que a Lady Leste exista agora, pra resgatar, pra me resgatar disso e pra me levar agora pra cima. A música tem me salvado o tempo todo.”
VÍDEOS: Semana Pop conta o que rolou no pop